Comissão Europeia propõe adesão da Croácia à UE em julho de 2013 | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 10.06.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Comissão Europeia propõe adesão da Croácia à UE em julho de 2013

País oriundo da antiga Iugoslávia está mais perto de se tornar o 28º membro da União Europeia após receber sinal verde de Bruxelas. Próximo passo é o aval dos demais países.

Ivo Josipovic: um grande dia para a Croácia

Presidente Ivo Josipovic: um grande dia para a Croácia

A Comissão Europeia recomendou aos países-membros que deem por encerradas as negociações para a adesão da Croácia, disse nesta sexta-feira (10/06) o presidente da Comissão, José Manuel Durão Barroso, em Bruxelas.

Ele recomendou o fechamento dos últimos 4 de 35 capítulos que os países aspirantes devem negociar para poder aderir à União Europeia (UE). Os capítulos incluem reformas políticas, econômicas, sociais e judicial.

"É um grande dia para a Croácia e abre uma nova página na nossa história", afirmou o presidente croata, Ivo Josipovic, em entrevista à agência de notícias AFP um dia antes do anúncio, que já era esperado.

Pelo cronograma da Comissão Europeia, a Croácia poderá se tornar o 28º membro do bloco em julho de 2013. As negociações começaram em 2005. Nos últimos meses, elas estavam travadas principalmente devido a atrasos na reforma judicial e na cooperação da Croácia com o Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia.

A proposta de encerrar as negociações será agora avaliada pelo conselho que reúne os 27 países da União Europeia. Se eles aprovarem a sugestão da Comissão, um contrato de adesão será apresentado e deverá ser ratificado pelos 27 países-membros. A reunião de cúpula da UE que debaterá o assunto será nos dias 23 e 24 de junho.

Se a adesão se confirmar, a Croácia será o segundo país formado a partir do território da antiga Iugoslávia a pertencer à União Europeia, depois da Eslovênia, que entrou em em 2004.

AS/afp/rtr/dpa/lusa
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais