1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Comissão Européia exige da Turquia que reconheça Chipre

Relatório dá prazo até meados de dezembro para que o governo turco reveja sua posição em relação ao país insular e critica lentidão no ritmo das reformas exigidas pela UE.

default

Governo turco se mantém otimista em relação ao ingresso do país na União Européia

A Comissão Européia exigiu da Turquia que ceda na divergência sobre o reconhecimento de Chipre e deu ao governo de Ancara prazo até 14 e 15 de dezembro para rever sua posição. Nesses dois dias acontecerá, em Bruxelas, um encontro de cúpula dos chefes de Estado e de governo da União Européia (UE) no qual será debatido o ingresso da Turquia no bloco.

Caso a Turquia não abra seus portos e aeroportos aos navios e aviões vindos do Chipre, a Comissão Européia "fará sugestões relevantes à cúpula", disse o comissário de Ampliação da UE, Olli Rehn. "Faremos as recomendações adequadas", afirmou o presidente da Comissão Européia, José Manuel Barroso.

A Turquia se nega a reconhecer Chipre e mantém seus portos e aeroportos fechados ao país mesmo após ter assinado um protocolo de união alfandegária válido para todos os países-membros da UE.

Reformas em ritmo lento

Num relatório divulgado nesta quarta-feira (08/11), a Comissão Européia critica a desaceleração do processo de reformas políticas da Turquia, iniciado há 13 meses, e lamenta o que chamou de violações contínuas de princípios da democracia e do Estado de direito.

Rehn exigiu, sobretudo, "maiores esforços" para o fortalecimento da liberdade de religião de não-muçulmanos, dos direitos das mulheres e das leis sindicais. Outro motivo para preocupação, segundo Rehn, é o direito à liberdade de expressão.

O relatório afirma ainda que a Turquia se comprometeu à implementação total e sem discriminação do chamado Protocolo de Ancara. O protocolo foi assinado pela Turquia, mas ainda não foi ratificado pelo país. O documento prevê que o acordo alfandegário existente entre a UE e a Turquia seja estendido aos novos países-membros, entre eles Chipre.

Turquia otimista

O primeiro-ministro turco, Recep Erdogan, disse que o país não cederá em relação ao Chipre. Ele disse que essa expectativa não é realista enquanto a União Européia não encerrar o boicote ao norte da ilha, dominado pela Turquia.

Mas Erdogan se disse otimista sobre o processo de aproximação entre a Turquia e a UE e descartou a possibilidade de uma ruptura. "Suspensão e ruptura são impossíveis", afirmou, antes de dizer que os esforços de Ancara continuarão e de recordar que "mesmo um país como o Reino Unido esperou 11 anos antes de ser membro integral da UE".

Leia mais