1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Começa o "festival do papa" na Alemanha

Três missas campais e festivais de boas-vindas em Colônia, Bonn e Düsseldorf marcam início da 20ª Jornada Mundial da Juventude, cujo ponto alto será a visita do papa Bento 16 à Alemanha.

default

Abertura do evento aconteceu em três cidades

Até o meio-dia desta terça-feira (16/08), nuvens escuras pairavam sobre o futuro da Igreja, que o Vaticano vê nos jovens católicos de todo o mundo, agora reunidos na Alemanha. Mas parece que eles têm um santo forte: pontualmente para a abertura da Jornada Mundial da Juventude, o sol voltou a brilhar em Colônia, Bonn e Düsseldorf.

O cardeal Joachim Meisner, arcebispo de Colônia, disse a 50 mil jovens no estádio do clube local que nunca houve um evento semelhante, "nem antes nem depois da chegada do três Reis Magos" à cidade. "Espero que a fé volte a ter um lugar de destaque na sociedade", acrescentou. Ao mesmo público, o presidente alemão Horst Köhler pediu mais engajamento pela paz, a justiça e a defesa do meio ambiente.

LTUarena in Düsseldorf vor Beginn eines Eröffnungsgottesdienstes zum XX. Weltjugendtag

Missa no estádio de Düsseldorf reuniu 50 mil jovens

No estádio de Düssedorf, o presidente da Conferência dos Bispos Alemães, cardeal Karl Lehmann, fez um apelo aos jovens para que "ouçam a voz de Deus. A forte participação na Jornada Mundial da Juventude expressa mais do que o desejo de construir uma cultura do amor. Ela tem uma motivação mais profunda".

Em entrevista à emissora de televisão WDR, Lehmann disse que "a Igreja precisa repensar sua ética sexual. Do contrário, ela corre o risco de não ser mais ouvida num campo importante da vida humana". A Igreja precisa da juventude, acrescentou. Em Colônia, há um evento paralelo à JMJ para jovens homossexuais.

Weltjugendtag für lesbische und schwule Jugendliche Rubicon Logo

Cartaz de evento paralelo à JMJ para jovens homossexuais em Colônia

No jardim da Universidade de Bonn, que a Igreja só pôde usar sob uma garantia de 500 mil euros contra estragos, o presidente da Comissão Episcopal para a Juventude, bispo Franz Josef Bode, disse a 70 mil jovens que "ninguém deve deixar se desanimar pela rede do terror, do ódio e da perdição".

Fé com caráter de festival

As missas e os festivais de abertura já revelaram o caráter da JMJ: a fé como espetáculo. Além de celebrações religiosas, a programação dos próximos dias inclui inúmeros projetos culturais, concertos (de jazz à música clássica e pop), peças de teatro e exposições. Mais de 200 grupos artísticos apresentam-se em mais de 80 palcos de Colônia, Bonn e Düsseldorf.

Seguindo o slogan do evento (a frase bíblica "viemos para adorá-lo"), a maioria conservadora dos participantes, porém, deve priorizar as orações, catequeses, confissões e romarias às relíquias dos três Reis Magos na catedral de Colônia. Uma maratona espiritual que culmina com a missa de encerramento com o papa, no domingo (21/08).

Mais de quatro mil brasileiros

Segundo os organizadores, um total de 405.118 jovens de 197 países estão inscritos na JMJ. Até o próximo domingo, este número deve subir a 800 mil. A Alemanha participa com 84 mil jovens cadastrados e mais de 20 mil voluntários.

Cerca de 80% dos participantes vêm dos maiores países católicos da Europa, e 9% da América do Norte (24.237 dos EUA e 6845 do Canadá – sede do encontro de 2002). O Brasil tem 4478 inscritos. Juntos, os países da América Latina reúnem mais de 5% dos participantes; a Ásia cerca de 3%; e a Oceania 0,08% (324 inscritos). Cerca de 120 mil chegaram no dia 11 de agosto à Alemanha e participaram de encontros nas dioceses alemãs.

O maior grupo de estrangeiros (101.174 peregrinos) vem da Itália, seguida pela França (38.549) e Espanha (31.908). Da Polônia de João Paulo 2º, idealizador da JMJ, vieram apenas 19.383 jovens, um número que decepcionou os organizadores. "Os poloneses nos disseram que gastaram o dinheiro para ir ao enterro do papa", explicou o porta-voz do evento, Mathias Kopp. A Austrália, cotada como candidata para sediar o próximo encontro, está presente com 2216 peregrinos.

Software para administrar os peregrinos

Weltjugendtag - Germanwings-Zeltlager in Köln Galerie: 7/10

Milhares de peregrinos estão hospedados em barracas

O megaevento católico é também um desafio logístico. Um software especial foi desenvolvimento pelos organizadores para evitar um caos nos alojamentos e no transporte dos peregrinos entre os diversos eventos. A Deutsche Bahn chegou a emprestar trens no exterior, preparando-se para o deslocamento de até 900 mil pessoas na região do Reno, no próximo fim de semana.

Em Colônia, Bonn e Düsseldorf, os peregrinos estão hospedados em alojamentos coletivos (escolas, ginásios de esporte, casas paroquiais) e cidades de barracas. Uma rede sueca de lojas de móveis e decorações ofereceu 350 vagas no estacionamento coberto da filial de Colônia, mas os contemplados tiveram que montar suas próprias camas. Cerca de 100 mil jovens hospedaram-se nas casas de moradores da região.

Leia mais