Começa na Alemanha julgamento de ruandês acusado de genocídio | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 18.01.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Começa na Alemanha julgamento de ruandês acusado de genocídio

Réu de 54 anos é acusado de ser responsável pela morte de pelo menos 3700 pessoas em Ruanda. Onesphore R. vive desde 2002 na Alemanha, onde pediu asilo político.

default

Memorial em Nyamata lembra as vítimas do genocídio de 1994 em Ruanda

Começou nesta terça-feira (18/01) em Frankfurt o julgamento de um ruandês acusado de participar do genocídio que causou milhares de mortes em Ruanda em 1994. É a primeira vez que um tribunal na Alemanha ajuíza um caso desse tipo.

Onesphore R., da etnia hutu e ex-prefeito de Muvumba, no nordeste de Ruanda, é acusado de ter ordenado ou coordenado três massacres em abril de 1994. Segundo a Promotoria Pública, pelo menos 3730 pessoas da etnia tutsi foram mortas naquele episódio trágico.

Onesphore R. Ruanda Völkermord Frankfurt a. M. Gericht

O acusado com sua advogada, Natalie von Wistinghausen

O acusado, que vive desde 2002 na Alemanha, onde pediu asilo político, pode ser condenado à prisão perpétua. Ele foi preso em 2008, após a expedição de um mandado internacional de prisão, chegou a ser liberado, mas voltou à prisão preventiva em julho do ano passado.

A Justiça alemã recusou a extradição de Onesphore R. para Ruanda, por considerar que não haveria condições para realizar um julgamento imparcial naquele país.

De acordo com as Nações Unidas, tribunais de vários países da Europa e de Ruanda, além do Tribunal Penal Internacional para Ruanda, na Tanzânia, já julgaram ruandeses acusados de participação no genocídio que causou 800 mil mortes.

RW/lusa/dpa
Revisão: Nádia Pontes

Leia mais