1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Começa julgamento do maior escândalo político chinês dos últimos anos

Acusado de desviar quantias bilionárias e usar cargo para beneficiar outras pessoas, ex-integrante do PC Bo Xilai diz ter sido obrigado a confessar crimes. Veredicto deve ser anunciado em setembro.

Começou nesta quinta-feira (22/08) o julgamento do ex-secretário do Partido Comunista da China, Bo Xilai, envolvido no maior escândalo da história recente do partido. Acusado de corrupção, suborno e abuso de poder, o réu logo negou a primeira acusação, afirmando ter sido obrigado a confessar crimes durante interrogatórios.

"Quanto à questão de Tang Xiaolin [gerente geral de uma corporação de desenvolvimento internacional] ter me dado dinheiro três vezes, eu admiti isso contra a minha vontade ao ser investigado pela Comissão Central de Inspeção Disciplinar. Estou disposto a arcar com as responsabilidades legais, mas naquela época eu não sabia das circunstâncias desses atos", afirmou Bo durante o julgamento.

Um porta-voz do tribunal afirmou que o réu estava emocionalmente estável e psicologicamente saudável. O início do processo foi marcado por manifestações em frente ao tribunal. Alguns dos seguidores do ex-político e manifestantes foram presos.

Prozessauftakt in China gegen Bo Xilai 22.08.2013

Bo não aparecia em público há mais de um ano, quando foi afastado da chefia do PC em Chongqing

Até o início de 2012, Bo era secretário e chefe do PC em Chongqing, a maior cidade do país. O ex-político de 64 anos é acusado de ter roubado 3,8 milhões de dólares.

Além disso, ele teria desviado quantias bilionárias dos cofres públicos com ajuda do inglês Neil Heywood, assassinado em 2011. A mulher de Bo, Gu Kailai, foi condenada à morte com suspensão condicional de pena pelo assassinato de Heywood, o que na China corresponde à prisão perpétua.

Segundo informações da emissora estatal CCTV, o julgamento do ex-político deve durar dois dias, e o anúncio do veredicto está previsto para o início de setembro.

CN/rtr/dpa/ap

Leia mais