1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Comando avançado vai para Afeganistão após réveillon

Um comando avançado de 200 soldados alemães voará para o Afeganistão em 2 ou 3 de janeiro. A Alemanha destacará ao todo 1.200 para a tropa da ONU que vai garantir a segurança em Cabul e arredores na fase de transição.

default

Soldados alemães se preparam para missão de paz em Cabul

Um comando avançado de 200 soldados alemães voará para o Afeganistão em 2 ou 3 de janeiro. Eles fazem parte do contingente de 1.200 militares que o Parlamento em Berlim aprovou no último sábado para integrar a tropa internacional da ONU que vai garantir a segurança em Cabul e arredores.

A estrutura de comando definitiva será aprovada pelos países participantes da tropa de até 5 mil soldados, numa conferência de dois dias, que começa em Londres nesta quinta-feira (27). No sábado, partirá da Inglaterra para Cabul uma equipe internacional de reconhecimento, da qual fazem parte 5 oficiais alemães.

Desconforto e risco - A ação dos boinas azuis no Afeganistão será muito desconfortável e arriscada, segundo o presidente da Associação das Forças Armadas alemãs (Bundeswehr), Bernhard Gertz. As tarefas são comparáveis às executadas nos Bálcãs. Os soldados estrangeiros só podem usar armas para sua defesa própria e da população, conforme o mandato aprovado pelo Conselho de Segurança em Nova York. Os soldados alemães ainda têm de conhecer as condições especiais no Afeganistão, por isso ainda vai demorar de 3 a 6 meses para que eles possam iniciar suas atividades no país ainda sob bombardeios dos Estados Unidos.

Com a participação da tropa multilateral de paz, a Bundeswehr está no limite de sua capacidade, segundo Gertz. Ele esclareceu que se o Ministério da Defesa exigir mais soldados para o Afeganistão nos próximos seis meses, terá de haver redução de tropa em outro país, provavelmente na Bósnia.

Comando - A tropa de boinas azuis tem um mandato inicial de 6 meses e nos 3 primeiros o comando será da Grã-Bretanha. O comandante será o brigadeiro John McColl, de 49 anos, com larga experiência nas tropas de paz da ONU na Bósnia, Irlanda do Norte e Chipre. Ele já foi para Cabul em meados de dezembro como chefe de um comando avançado de 12 oficiais para fazer os preparativos necessários à missão de paz.

Os britânicos vão precisar de sua capacidade de diálogo e muito sangue frio para a tarefa difícil de colocar sob uma só guarda as partes afegãs em conflito e a tropa de paz. A Grã-Bretanha foi o único país que participou diretamente dos bombardeios americanos no Afeganistão, em represália aos atentados de 11 de setembro.