1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Comando avançado completa efetivos no Afeganistão

Para Hamid Karsai, líder do governo de transição no Afeganistão, a Alemanha deveria assumir o comando das tropas internacionais em seu país. Neste sábado chegaram os últimos soldados alemães do comando avançado.

default

Soldados alemães no aeroporto de Colônia

O comando alemão avançado no Afeganistão, que precede a chegada do contingente maior das tropas internacionais, está completo. Neste sábado aterrissaram em Bagram mais dois aviões, com os últimos 87 soldados, que partiram na sexta-feira de Colônia e fizeram escala em Trabzon, na Turquia. O comando avançado compõe-se, ao todo, de 292 soldados, 241 alemães, 36 holandeses, 12 dinamarqueses e 3 austríacos.

O comandante das tropas alemãs no Afeganistão, general Carl Hubertus von Butler está satisfeito com o transcurso da operação. A situação em Cabul seria relativamente tranqüila. A alta criminalidade, o estado calamitoso das ruas e estradas e o perigo que representam as inúmeras minas ainda não desativadas seriam os principais problemas. Os soldados alemães foram muito bem recebidos pela população, segundo ele.

Uma ampliação do mandato da ONU para além dos limites da capital, Cabul, não vem ao caso no momento, para von Butler. "A capital é o ponto central para o futuro do Afeganistão e devemos nos concentrar para ter tudo sob controle em Cabul. O resto virá depois", disse o general, em entrevista à Deutschlandradio.

Se fosse por Hamid Karsai, o chefe do governo afegão de transição, a Alemanha deveria assumir o comando das tropas internacionais de proteção em Cabul, caso a Grã-Bretanha decida entregá-lo em abril, como anunciou. "Os alemães sempre nos ajudaram em resistência contra os talebans", disse o chefe do governo de transição, justificando sua preferência.

Advertências e prisões - Antes de partir para a Arábia Saudita e o Japão, Hamid Karsai advertiu o ocidente quanto a não fornecer apoio financeiro suficiente a seu país. Em Tóquio começa, na segunda-feira (21), uma conferência sobre recursos para a reconstrução do Afeganistão. Em entrevista ao semanário alemão Der Spiegel, Karsai mostrou-se muito decepcionado com a pouca ajuda até agora. "Se a comunidade internacional não quiser que o Afeganistão caia no caos e seja um refúgio do terrorismo, terá que cumprir suas grandes promessas de ajuda", advertiu, traçando um paralelo com o que ocorreu quando as tropas soviéticas se retiraram do país, em 1989.

No entanto, manifestou-se otimista quanto ao futuro do país. Ele não vê o risco de que os talebans regressem ao poder. "O sistema dos talebans foi varrido do poder e agora faz parte da história", disse, acrescentando que os líderes do movimento radical islâmico estão sendo procurados e serão julgados por seus crimes.

Segundo a televisão afegã, sete suspeitos de pertencerem ao grupo terrorista Al Qaeda foram presos em Cabul pelas forças de segurança, na sexta-feira (18). Se a notícia for confirmada, essa é a primeira vez que membros da organização do líder terrorista Osama bin Laden são presos na capital afegã.