1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futebol

Com show de Di María, Argentina goleia Alemanha em reedição da final da Copa

Meio-campista, ausente na decisão no Maracanã, dá três assistências e anota um gol na goleada por 4 a 2 contra os tetracampeões. Amistoso é marcado por homenagens e estreia da quarta estrela no uniforme alemão.

default

Erik Lamela (esq.) e Sergio Agüero comemoram o primeiro gol argentino, marcado pelo atacante do Manchester City

Em meio a homenagens e estreias, a Argentina vingou a derrota na final da Copa do Mundo para a Alemanha com juros e correções. Com atuação de gala de Ángel Di María, a Albiceleste goleou os tetracampeões mundiais por 4 a 2, em amistoso realizado nesta quarta-feira (03/09), em Düsseldorf. O meia argentino, que não esteve presente na decisão no Maracanã, teve participação direta no placar. Ele deu as assistências para os gols de Sergio Agüero, Erik Lamela e Federico Fernández, e anotou o quarto. Os gols de honra da Alemanha foram marcados pelo reserva de luxo do Mundial, André Schürrle, e pelo herói do título, Mario Götze.

Antes da execução dos hinos nacionais, quatro campeões mundiais foram homenageados pela Federação Alemã de Futebol (DFB). O zagueiro Per Mertesacker, o maior artilheiro em Copas,

Miroslav Klose

, e o capitão do Tetra,

Philipp Lahm

– aposentados da seleção –, além do ex-assistente técnico Hansi Flick, receberam placas de agradecimento pelos serviços prestados.

Um gigante mosaico elaborado pelos 55 mil torcedores presentes no estádio acompanhou a cerimônia. O desenho formou a palavra "Weltmeister" – "campeão mundial" – e quatro estrelas amarelas, acompanhadas dos anos em que a Alemanha levantou a taça – 1954, 1974, 1990 e 2014. Além disso, o amistoso marcou a estreia da nova camisa da Nationalmannschaft, com a quarta estrela o logo da Fifa no peito, e de Gerardo Martino no comando da seleção argentina.

A partida começou bem menos estudada do que a final do Maracanã. Com características típicas de amistoso, os jogadores tiveram bastantes espaços e cometeram erros simples de marcação. Sem seu principal astro Lionel Messi, que lida com uma lesão muscular na perna direita, Ángel Di María foi o regente do meio-campo argentino e mostrou por que o Manchester United pagou 75 milhões de euros por ele.

Di María, que não participou da final da Copa pois havia se machucado no confronto eliminatório contra a Bélgica, driblou, finalizou e deu bastante trabalho ao lado esquerdo da defesa alemã. Aos 21 minutos, o meia cruzou de três dedos e Sergio Agüero, livre na pequena área, fuzilou Manuel Neuer.

Aos 39, Di María novamente não tomou conhecimento do lateral-esquerdo alemão Erik Durm e alçou na altura da marca do pênalti. Lá, Erik Lamela finalizou de primeira, com muita categoria, no ângulo direito de Manuel Neuer. Golaço na Esprit-Arena.

Se por um lado Di María mostrou toda a sua classe, Mario Gómez não teve um primeiro tempo inspirado. Por três vezes, o atacante alemão ficou cara a cara com o goleiro argentino Sergio Romero e desperdiçou. Depois da terceira tentativa, aos 45 minutos, leves vaias ecoaram na plateia.

A segunda etapa começou fulminante: três gols nos primeiros sete minutos. No segundo minuto, Di María cobrou falta na segunda trave e o zagueiro Federico Fernández, rente ao poste, cabeceou sem defesa para Roman Weidenfeller.

O goleiro do Borussia Dortmund, que entrou no lugar de Neuer no intervalo, voltou a ser vazado três minutos depois. Di María – sempre ele – arrancou após bela combinação de passes do meio-campo argentino e, com muita categoria, encobriu Weidenfeller. Novo golaço da Albiceleste.

As vaias tímidas para a apresentação dos tetracampeões, cessaram dois minutos depois, quando André Schürrle aproveitou rebote de Romero e diminuiu o marcador.

Aos 33 minutos, Mario Götze, autor do gol do título mundial, voltou a balançar as redes da Argentina. Lukas Podolski cruzou na área e, após falha do goleiro argentino, Götze pegou a sobra e contou com a ajuda de um desvio na zaga para completar o placar da partida.

Ficha técnica

Alemanha 2 x 4 Argentina

Local: Esprit-Arena, Düsseldorf

Arbitragem: Björn Kuipers (Holanda) auxiliado por seus compatriotas Sander van Roekel e Erwin Zeinstra.

Gols: Sergio Agüero (19'/1T), Erik Lamela (39'/1T), Federico Fernández (2'/2T), Ángel Di María (5'/2T), André Schürrle (7'/2T), Mario Götze (33'/2T)

Cartões amarelos: Martín Demichelis (16'/1T), Julian Draxler (19'/1T), Lukas Podolski (25'/2T)

Alemanha: Manuel Neuer (Roman Weidenfeller (1'/2T); Kevin Grosskreutz, Matthias Ginter, Benedikt Höwedes (Antonio Rüdiger 32'/2T), Erik Durm; Christoph Kramer, Toni Kroos (Sebastian Rudy 26'/2T); André Schürrle (Thomas Müller 12'/2T), Julian Draxler (Lukas Podolski 32'/1T), Marco Reus; Mario Gómez (Mario Götze 13'/2T). Técnico: Joachim Löw.

Argentina: Sergio Romero (Mariano Andújar 35'/2T) ; Pablo Zabaleta (Hugo Campagnaro 32'/2T), Federico Fernández, Martín Demichelis, Marcos Rojo; Javier Mascherano, Lucas Biglia, Enzo Pérez (Augusto Fernández 1'/2T), Erik Lamela (Fernando Gago 22'/2T), Ángel Di María (Ricardo Álvarez 40'/2T) ; Sergio Agüero (Nicolás Gaitán 38'/2T) . Técnico: Gerardo Martino.

Leia mais