1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Com pedido de esforço, ONU encerra reunião sobre acordo do clima na Alemanha

Encontro foi preparação para conferência que ocorre em novembro, em Varsóvia. Antes, países se reúnem mais uma vez no início de junho. Brasil usou reunião para divulgar queda no desmatamento na Amazônia.

Klima-Konferenz in Bonn. Foto: DW/Mauricio Cancilieri 03/05/2013

André Aranha Corrêa do Lago

Mais uma rodada de conversas para o fechamento do acordo do clima, em 2015, teve fim nesta sexta-feira (03/05) em Bonn, na Alemanha. Durante uma semana, cerca de 170 países participaram de workshops e discussões. Estados Unidos e China foram, novamente, centro das queixas. “Mas não vamos resolver tudo só com EUA e China, embora também seja impossível resolver sem eles”, afirmou Christiana Figueres, secretária-executiva da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC).

Figueres disse ainda que “nenhum governo está fazendo o suficiente” e que todos precisam “rever seus níveis de ambição”. Segundo ela, é necessário mais esforço porque "quanto mais as soluções demorarem, mais elas vão ficar caras”.

Klima-Konferenz in Bonn. Foto: DW/Mauricio Cancilieri 03/05/2013

Christiana Figueres, representante da ONU

O Brasil foi representado no encontro pelo embaixador André Aranha Corrêa do Lago, chefe do Departamento de Meio Ambiente do Itamaraty. Ele apresentou aos membros signatários da UNFCCC que a União tem investido pesado no combate ao desmatamento na Amazônia.

“Conseguimos reduzir o desmatamento em 83% de 2005 até 2012, o que significa que as nossas emissões de CO2 também caíram. Não podemos, no entanto, nos descuidar”, disse.

Corrêa do Lago acredita que essa fase de “diálogo” entre os diplomatas é essencial para o próximo passo: as negociações. Elas devem começar em novembro, na Conferência do Clima, em Varsóvia. Antes será realizada outra temporada de reuniões preparatórias também em Bonn, só que um pouco mais longa, de 3 a 14 de junho.

Resultados práticos

Num relatório de conclusão dos trabalhos deste início de maio, a UNFCCC comunicou que os mais de mil participantes inscritos descobriram e definiram formas de despoluir o meio ambiente e, principalmente, viabilizar alternativas sustentáveis de produção de energia. Na pauta também esteve o manejo correto da terra.

Os embaixadores e representantes de organizações internacionais se comprometeram a seguir com o processo de mudança de conduta de forma transparente. O documento ressalta a urgência de envolver a sociedade civil no problema.

“Eu acho que estamos progredindo, estamos ficando mais focados”, declarou Figueres. “Em junho temos que passar para um outro nível de argumento”, que já seria o início de elaboração de parcerias e desenvolvimento de políticas públicas.

O Brasil estará nessa outra fase, sem perder de vista a Conferência do Clima de 2014, com previsão para ser realizada na América Latina, mas ainda sem local exato. O acordo que os países estão buscando até 2015 vai substituir o Protocolo de Kyoto, que expira em 2020.