Com os peixes e as baleias no Ozeaneum de Stralsund | Conheça os destinos turísticos mais famosos da Alemanha | DW | 31.07.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Com os peixes e as baleias no Ozeaneum de Stralsund

O complexo futurista é parte do Museu Marítimo da cidade portuária no Mar Báltico. Mais do que mera diversão, o Ozeaneum informa e esclarece sobre a biodiversidade dos mares e os perigos a que ela está exposta.

default

Tanque pleno de cardumes

Ao som do canto de baleias e sentados em cadeiras de praia, os visitantes podem admirar réplicas perfeitas da orca, da baleia-jubarte e da baleia azul. Mais adiante, 39 aquários – com um total de 6 milhões de litros cúbicos de água – lhes permitem vislumbrar as profundezas dos mares.

Das Ozeanum von Außen

Futurista: projeto arquitetônico de Behnisch & Partner, de Stuttgart

A construção do Ozeaneum, na cidade portuária de Stralsund, em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, custou 60 milhões de euros – 10 milhões de euros a mais do que planejado.

O museu reúne mais de 7 mil animais de 100 diferentes espécies, o que o torna o maior centro da Europa dedicado ao Mar Báltico e, segundo o ministro alemão da Cultura, Bernd Neumann, presente à inauguração, um dos dez mais importantes museus marítimos do mundo.

Baleia azul e celacanto

"Os peixes precisam beber?" "Como o sal chega ao Mar Báltico?" Mesmo adultos hesitam diante de perguntas como estas. Porém o Ozeaneum dá as respostas, e visitá-lo é como uma excitante aula de biologia marinha.

Walmodell im Ozeaneum

Imitação perfeita de baleias

Ele informa sobre a biodiversidade dos mares e as ameaças que ela enfrenta, sobre as influências mútuas entre a atmosfera e os oceanos, sobre os motores das correntes marítimas e as profundezas mais extremas. Museu dos superlativos, o Ozeaneum conta com a maior documentação audiovisual sobre baleias.

A exposição 1:1 – Gigantes dos mares, com réplicas de baleias, é financiada pela associação ambientalista Greenpeace. Esta utiliza a oportunidade para chamar a atenção para a continuada extinção da baleia azul. Em 1964 a frota baleeira antártica contou apenas 20 exemplares. Antes, o contingente da espécie chegava a 300 mil.

Uma outra atração do Ozeaneum é o submarino de pesquisa GEO, com o qual o biólogo Hans Fricke descobriu na costa das Ilhas Comores, no Canal de Moçambique, em plena década de 1980, o peixe celacanto, um "fóssil vivo", que se acreditava extinto.

Tradição de mais de meio século

Como quatro criaturas da Era Glacial em trajes futuristas, o complexo de exposições paira entre os antigos armazéns do porto. Inaugurado em julho de 2008, o Ozeaneum é parte do Museu Marítimo Alemão de Stralsund, por sua vez fundado em 1951, como instituição de história natural.

Ozeaneum Stralsund vor der Eröffnung

O Ozeaneum também exibe animais conservados

Ao lado de terrários com anfíbios e répteis da região, o museu já exibia então seus primeiros aquários com animais do Mar Báltico. Mais tarde, especializou-se em biologia marinha e pesca, transformando-se em enorme sucesso de público.

Desde a inauguração, o Museu Marítimo já recebeu mais de 24 milhões de visitantes, alcançando recentemente uma média de 600 mil pessoas por ano. Trata-se da instituição museológica mais concorrida do Norte alemão.

Órgão municipal até 1994, sua administração foi então assumida por uma fundação. As mostras foram ampliadas, seus biólogos passaram a participar de projetos internacionais de pesquisa. A construção, em 2008, do Ozeaneum, contando um volume total de quase 91 mil metros cúbicos, coroa este processo de expansão.

Leia mais