1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Com golaço de Neymar, Brasil estreia com vitória contra Japão

Em jogo marcado por vaias a Dilma e protestos fora do estádio, time de Felipão passa sem sustos pela seleção japonesa em Brasília. Jô, que entrou no segundo tempo, e Paulinho fecharam o placar.

Com dois gols-relâmpago – um em cada tempo de jogo – e um nos acréscimos, o Brasil estreou neste sábado (15/06) com vitória por 3 a 0 sobre o Japão na Copa das Confederações. Fora os gols de Neymar, Paulinho e Jô, a torcida presente no Estádio Nacional de Brasília, que não esteve lotado, teve poucos momentos para vibrar com a seleção brasileira.

Buscando conquistar a confiança do torcedor, o Brasil partiu com tudo para cima dos japoneses e abriu o placar logo no terceiro minuto de jogo. Depois de cruzamento do lateral-esquerdo Marcelo, Fred ajeitou de peito para Neymar que acertou um lindo chute de primeira no ângulo do goleiro Kawashima. Com o gol, Neymar tornou-se o maior artilheiro do confronto Brasil e Japão, com três gols, um a mais que Ronaldo.

Daí em diante, o Brasil começou a se retrair, chamando a seleção japonesa para o seu campo de defesa. Erros de passe e a saída lenta do sistema defensivo começaram a aparecer. Keisuke Honda, o meia japonês com o cabelo descolorido, dava um susto atrás do outro ao goleiro Júlio César.

FIFA Confederations Cup 2013 Brasilien Japan Fußball

Neymar comemora seu golaço, que abriu o caminho para a vitória brasileira

Quando a impaciência da torcida brasileira começava a dar as caras, o Brasil quase marcou o segundo gol. Aos 40 minutos, Hulk recebeu na entrada da área e estufou a rede pelo lado de fora. Aos 42 minutos, Fred tabelou com Neymar e chutou cruzado na área, mas o goleiro japonês espalmou e evitou a sobra para Neymar.

Felipão diz que Neymar é decisivo

Assim como no início do jogo, o Brasil não precisou de muito tempo na segunda etapa para balançar a rede do Japão. Três minutos jogados e o volante Paulinho, depois de receber passe de Daniel Alves, girou o corpo e chutou por baixo de Kawashima. Falha do goleiro, e 2 a 0 para o Brasil. E, novamente, a seleção brasileira baixou o ritmo depois de marcar um gol. No minuto seguinte, Okazaki antecipou o cruzamento de Ushida, e a bola passou raspando a trave brasileira.

FIFA Confederations Cup 2013 Brasilien Japan Fußball

Jogadores brasileiros comemoram o gol de Paulinho

A torcida voltou a se manifestar aos 28 minutos da segunda etapa, quando aplaudiu a entrada de Lucas, mas chegou a vaiar o técnico Luiz Felipe Scolari por tirar Neymar, que estava mancando. Outro que saiu com dores foi Fred, para dar lugar a Jô.

"O Neymar é o mesmo de sempre. Em um ou outro jogo ele pode não estar tão bem, mas no geral, ele é craque. Ele faz a diferença e vai fazer sempre", disse Felipão. "Vamos encontrando uma maneira de jogar, com peças de reposição que entram e ajudam muito."

E quando a partida já se encaminhava para um sonolento final, no qual volantes e zagueiros simplesmente trocavam passes e os jogadores japoneses assitiam resignados, Oscar resolveu conduzir a bola quase do meio-campo até a entrada da área. Ele passou para Jô, que tocou por baixo de Kawashima, fechando o marcador.

Com a vitória, o Brasil quebrou o tabu de nunca ter vencido o Japão em Copa das Confederações. Foram dois empates – 0 a 0 em 2001 e 2 a 2 em 2005. De quebra, a seleção brasileira manteve a invencibilidade contra os japoneses em jogos com o time principal.

Protestos e vaias

Se o jogo do Brasil foi, às vezes, sonolento, fora do Estádio Nacional de Brasília o clima esquentou antes da partida. Centenas de pessoas voltaram a protestar contra a organização da Copa do Mundo e a corrupção. Até coros contra a Fifa foram entoados. Usando narizes de palhaços e faixas e cartazes, manifestantes foram dispersados com bombas de efeito moral, disparados pela tropa de choque. Segundo a Polícia Militar, ao menos 16 pessoas foram presas e 35 ficaram feridas.

FIFA Confederations Cup Brazil 2013 Sepp Blatter Dilma Rousseff

Blatter e Dilma receberam sonoras vaias na abertura da Copa das Confederações

Dentro do Estádio Nacional de Brasília, o tom de desagrado com o governo brasileiro e a Fifa continuou. A presidente Dilma Rousseff foi vaiada seguidas vezes. A primeira vaia foi ainda antes de Dilma se dirigir ao público, quando o sistema de som anunciou seu nome aos cerca de 70 mil torcedores que foram ao estádio.

A segunda foi quando ela foi mencionada pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter, que estava a seu lado na tribuna de honra. Durante as vaias, Blatter chegou a pedir respeito aos torcedores: “Amigos do futebol brasileiro, onde está o respeito e o fair play, por favor?"

O pedido do dirigente fez o barulho aumentar, e a presidente brasileira fez o discurso de abertura oficial do torneio sob vaia intensa. "Declaro oficialmente aberta a Copa das Confederações", disse Dilma, sem conseguir esconder o constrangimento com a situação.

Ficha técnica

Local: Estádio Nacional de Brasília

Arbitragem: Pedro Proença (Portugal), auxiliado por seus compatriotas José Trigo e Bertino Miranda.

Gols: Neymar (3 do primeiro tempo); Paulinho (3 do segundo tempo) e Jô (47 do segundo tempo)

Cartões amarelos: Hasebe (Japão)

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiy Gustavo, Paulinho e Oscar; Neymar (Lucas), Hulk (Hernanes) e Fred (Jô).
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Japão: Eiji Kawashima; Atsuto Ushida, Yuto Nagatomo, Yasuyuki Konno e Maya Yoshida; Makoto Hasebe, Hiroshi Kyotake (Ryoichi Maeda), Yasuhito Endo (Hajime Hosogai), Shinji Kagawa e Keisuke Honda (Takashi Inui); Shinji Okazaki.
Técnico: Alberto Zaccheroni