Com fronteira reaberta, milhares de venezuelanos entram na Colômbia | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 13.08.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Com fronteira reaberta, milhares de venezuelanos entram na Colômbia

Filas quilométricas se formaram antes mesmo da reabertura da fronteira fechada há um ano por ordem de Maduro. Escassez de alimentos e remédios acentua crise na Venezuela.

Fechada há quase um ano, a fronteira entre Colômbia e Venezuela foi reaberta neste sábado (13/08) em meio à crise de escassez de alimentos sob o regime do presidente venezuelano, Nicolás Maduro. Milhares de venezuelanos se dirigiram à cidade de Cúcuta para comprar mantimentos e remédios.

Horas antes da abertura, prevista para as 5h (horário local), milhares de pessoas já se amontoavam do lado venezuelano da ponte internacional Simón Bolívar, que liga a cidade de San Antonio del Táchira com Cúcuta, a capital do departamento do Norte de Santander.

Para atravessar a ponte, os venezuelanos têm que portar um novo cartão migratório provisório. O documento foi instituído pelos dois governos como parte das novas medidas para a reabertura da fronteira. Nas primeiras cinco horas, cerca de 20 mil venezuelanos atravessaram a ponte, segundo autoridades.

"Podem chegar a qualquer hora do dia e todos os dias daqui para frente. É uma passagem de pedestres que está aberta para que o fluxo de pessoas aconteça sem qualquer inconveniente", afirmou o diretor da Polícia Fiscal Aduaneira da Colômbia (Polfa), general Gustavo Moreno. A passagem ficará aberta15 horas por dia.

A reabertura foi anunciada na última quinta-feira por Maduro e o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, após firmarem o acordo.

A ligação entre Cúcuta e San Antonio foi fechada em 19 de agosto do ano passado sob ordem do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, sob o argumento de combater o contrabando e o narcotráfico. Na sequência, Maduro ordenou o fechamento das demais passagens existentes ao longo dos mais de 2 mil quilômetros de fronteira comum.

KG/efe/rtr

Leia mais