Com dinheiro de milionário, Hoffenheim chega à Bundesliga | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 20.05.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Com dinheiro de milionário, Hoffenheim chega à Bundesliga

Com o dinheiro de um dos fundadores da empresa de software SAP, o pequeno Hoffenheim, sediado numa vila de 3.300 habitantes, sai da liga regional para a Primeira Divisão do Campeonato Alemão em apenas um ano.

default

Obasi (e) e Salihovic comemoram a goleada que garantiu o Hoffenheim na Primeira Divisão

Um clube sediado numa vila e que há apenas um ano disputava a Terceira Divisão do futebol alemão será uma das principais atrações da temporada 2008/09 da Bundesliga. O Hoffenheim, dos brasileiros Carlos Eduardo e Luiz Gustavo, garantiu no final de semana passado sua vaga na Primeira Divisão ao golear o Fürth por 5 a 0.

O clube tem sua sede na vila de Hoffenheim, pertencente ao município de Sinsheim, em Baden-Württemberg, sul da Alemanha. Em Hoffenheim vivem oficialmente 3.272 pessoas. É a primeira vez que um lugarejo tão pequeno tem um representante na Primeira Divisão da Bundesliga.

A rápida ascensão do Hoffenheim à elite do futebol tem uma explicação. O clube foi adotado pelo empresário Dietmar Hopp, de 68 anos, um dos fundadores da empresa de software SAP e uma das pessoas mais ricas da Alemanha, com patrimônio calculado em 6,3 bilhões de euros. Hopp é fanático por futebol e chegou a jogar como atacante no Hoffenheim entre 1954 e 1965.

Plano de cinco anos

1899 Hoffenheim, Dietmar Hopp

O multimilionário Dietmar Hopp, fundador da SAP

A relação empresarial de Hopp com o clube começou apenas em 1989, quando o Hoffenheim era um time amador que disputava a Kreisliga, espécie de oitava divisão do futebol da Alemanha. Na época, o empresário doou 10 mil marcos para que o clube pudesse comprar uniformes e bolas.

Mas foi só no segundo semestre de 2006 que Hopp resolveu investir pesado no Hoffenheim. Chamou o técnico Ralf Rangnick, que havia rompido com o Schalke, para treinar a equipe. Na mesma época vieram ainda Bernhard Peters, que assumiu as categorias de base, e o gerente Jochen Rathaus, que havia tido sucesso no Stuttgart. O trio profissionalizou o pequeno clube.

O plano inicial previa chegar à Primeira Divisão em cinco anos, mas o objetivo foi alcançado em apenas dois. "Uma coisa é ter dinheiro. Outra bem diferente é aplicá-lo corretamente", resumiu o técnico do Fürth, Bruno Labbadia. Hoje, Hopp é dono de 49% do Hoffenheim, o máximo permitido pela Liga Alemã de Futebol (DFL).

Novas contratações

No primeiro turno da temporada 2007/08, o plano de Hopp parecia mais perto do fracasso do que do sucesso. O Hoffenheim, então já na Segunda Divisão, não conseguia sair da zona intermediária da tabela. Foi quando Hopp colocou mais 20 milhões de euros para contratar novos jogadores.

Neue Spieler bei 1899 Hoffenheim

Demba Ba (e) e Carlos Eduardo

Entre as novidades estava o meia Carlos Eduardo, então com apenas 20 anos e principal revelação do Grêmio. O jogador custou perto de 8 milhões de euros. É a mais cara contratação da história da Segunda Divisão alemã.

Os investimentos em Carlos Eduardo e na dupla de atacantes Demba Ba, do Senegal, e Chinedu Obasi, da Nigéria, mostraram resultados e o clube começou a galgar posições já no início do returno. Ao final da temporada, domingo passado, selou com uma goleada seu ingresso na Primeira Divisão.

Moderna arena

Agora a prioridade é a construção do novo estádio, o Rhein-Neckar-Arena, que custará 40 milhões de euros e terá lugar para 30 mil pessoas. A moderna arena deverá estar pronta apenas no início de 2009. Com isso, as oito primeiras partidas do Hoffenheim na Primeira Divisão serão jogadas no Estádio Carl Benz, em Mannheim.

O atual estádio, conhecido pelo nome do mecenas do clube, Dietmar Hopp, fica em Hoffenheim e tem capacidade para apenas 6.350 pessoas – é, assim, pequeno demais para a Bundesliga.

Fora o estádio, não haverá grandes mudanças no clube. A atual filosofia de contratar jogadores jovens será mantida, assegura Hopp, de olho nos lucros que a revenda de craques pode trazer. E quanto às pretensões do clube para a Primeira Divisão, o milionário avisa: "Ninguém precisa ter medo de nós. Certamente vamos reforçar a equipe, mas nossos objetivos são modestos. Um lugar entre a sexta e a 15ª colocação me deixaria satisfeito".

Leia mais