Colônia abre processo contra jovem refugiado suspeito de terrorismo | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 05.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Colônia abre processo contra jovem refugiado suspeito de terrorismo

Sírio de 16 anos teria planejado atentado a bomba na cidade alemã. Investigadores encontraram em seu celular evidências de contato com membros do "Estado Islâmico", assim como instruções sobre construção de explosivos.

Abrigo para refugiados onde Mohammed J. foi preso em setembro (picture-alliance/dpa/H. Kaiser)

Abrigo para refugiados onde Mohammed J. foi preso em setembro

O Ministério Público de Colônia instaurou processo contra um refugiado sírio detido há seis semanas por suspeita de terrorismo. O jovem de 16 anos teria planejado um atentado a bomba na Alemanha, em missão para o "Estado Islâmico" (EI).

Segundo reportagem publicada nesta segunda-feira (05/12) pelo jornal local Kölner Stadt-Anzeiger, o órgão abriu o processo contra Mohammed J. por "preparação de um grave ato de violência subversivo". O Código Penal alemão prevê no caso uma pena de prisão de seis meses a dez anos.

O requerente de asilo foi preso no dia 20 de setembro num abrigo para refugiados do bairro coloniano de Porz, suspeito de pretender construir uma bomba. Ele já teria até preparado um documento de confissão em seu smartphone. Uma primeira perícia no aparelho indicou "contatos com uma pessoa no exterior ligada ao EI", informaram na ocasião a polícia e o Ministério Público.

Segundo os investigadores, nos contatos por telefone com um ou mais extremistas há evidência clara de que o adolescente sírio estava disposto a executar o ataque. A polícia encontrou. extensas trocas de mensagens no celular, contendo inclusive instruções concretas para a construção de bombas.

De acordo com o periódico de Colônia, o réu alegou que as conversas foram apenas uma brincadeira. O advogado do refugiado, Michael Murat Sertsöz, disse não ver qualquer prova contra seu cliente, não existindo "nada que, sequer de longe, indique a concretização do ato".

IP/afp/dpa

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados