1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Coalizão dá respaldo a Scharping contra ataque da oposição

O ministro da Defesa da Alemanha, Rudolf Scharping, recebeu o apoio dos partidos social-democrata (SPD) e Verde da coalizão de governo na contenda por causa da encomenda de 73 aviões militares.

default

Rudolf Scharping com a condessa Kristina Pilati

A oposição conservadora acusou o ministro de desrespeitar uma resolução parlamentar, que liberou dinheiro para a compra de apenas 40 aviões. Os partidos democrata-cristão (CDU), social-cristão (CSU) e liberal (FDP) exigiram a renúncia do ministro, porque ele teria prometido indenização no caso de a Alemanha não comprar todos os 73 Airbus A400M previstos no acordo.

Numa reunião especial da Comissão de Orçamento do Parlamento em Berlim, nesta terça-feira (30), convocada pela oposição, as duas legendas governistas rejeitaram uma resolução conjunta com que os oposicionistas conservadores queriam impor limitações ao ministro, em caso de exigência de indenização. Os três partidos oposicionistas exigiram que o chanceler federal Gerhard Schröder demitisse o ministro e ameaçaram recorrer ao Tribunal Constitucional Federal em Karlsruhe.

Projeto europeu – Scharping partiu para a ofensiva e acusou a oposição de colocar em jogo a credibilidade da Alemanha e da União Européia junto aos aliados da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), por interesses político-partidários. A aquisição dos Airbus para substituir os cargueiros Transall faz parte de um projeto de oito nações européias. E é o mais importante para assegurar a capacidade de transporte da Alemanha, segundo o ministro.

Scharping confirmou que "naturalmente, a Alemanha é obrigada a pagar indenização se comprar menos do que os 73 aviões encomendados". Mas ponderou que esta é uma questão muito hipotética já que, com a exceção do neocomunista PDS, todos os partidos representados no Parlamento aprovaram a compra dos Airbus.

Milagre eleitoral – O projeto só iria por águas abaixo, segundo o ministro, se os neocomunistas conquistassem uma maioria absoluta no Parlamento nas eleições de 22 de setembro, uma hipótese em que ninguém acredita.

A Comissão de Orçamento havia aprovado uma verba de 5,1 bilhões de euros para a compra de 40 aviões A400M. A decisão sobre o dinheiro para aquisição dos outros 33 aviões foi transferida para o Parlamento a ser eleito em setembro.

Escândalos – O ministro da Defesa é o mais criticado do gabinete de Schröder. A oposição já exigiu a demissão do político social-democrata várias vezes. A primeira foi depois que a revista Bunte publicou fotos de cenas de amor sua com a namorada, a condessa Kristina Pilati, numa piscina na ilha espanhola Palma de Maiorca.

Scharping foi acusado, em seguida, de voar em aviões oficiais para encontrar-se com a amada. A ira da oposição voltou a abater-se sobre o ministro, quando ele revelou, em entrevista coletiva, o caminho que um contingente alemão percorreria de Kosovo para a Macedônia. Ele teria colocado a vida dos soldados em perigo, segundo a oposição. Depois dos atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos, a oposição diminuiu seus ataques contra Rudolf Scharping.