1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Cinzas de vulcão provocam caos aéreo na Indonésia

Erupção do Raung, na ilha de Java, fecha cinco aeroportos, incluindo os de Bali e Lombok. Autoridades pedem a moradores da região que usem máscaras e evitem chegar perto do vulcão.

As cinzas expelidas por um vulcão na ilha de Java levaram ao fechamento de cinco aeroportos e ao cancelamento de centena de voos nestas quinta e sexta-feira (10/07) na Indonésia.

O vulcão Raung, a cerca de 150 quilômetros do aeroporto internacional de Bali, está em erupção há várias semanas. O nível de atividade aumentou na semana passada, e, nesta sexta-feira, ele expeliu cinzas e detritos a uma altura de 3,8 mil metros.

Os aeroportos nas ilhas de Bali e de Lombok e em Banyuwangi e Jember, em Java Oriental, foram fechados na noite desta quinta-feira. Os dois aeroportos na ilha de Lombok já voltaram a operar. Os de Bali e Java Oriental devem ficar fechados até este sábado.

O Ministério dos Transportes aconselhou companhias aéreas a evitar rotas próximas ao vulcão. "Cinzas podem obstruir as turbinas e danificar outras partes de aviões", disse um porta-voz do Ministério dos Transportes.

No aeroporto de Bali, cerca de mil passageiros ficaram presos no terminal internacional enquanto aguardavam diante de painéis repletos de avisos de cancelamento e atraso. Alguns reclamaram da falta de informações sobre as alterações nos voo. Muitos dormiram sobre bancos ou sobre o chão.

O fechamento dos aeroportos internacionais de Bali e Lombok acontece em meio à alta temporada, quando muitos turistas visitam o país.

Segundo o vulcanologista Gede Suantika, a lava e as cinzas do vulcão de 3.332 metros de altura, localizado na ilha mais densamente povoada da Indonésia, também levaram o governo a pedir que as pessoas se mantivessem a três quilômetros de distância da área de alto risco ao redor do vulcão.

No entanto, a evacuação da área próxima ao vulcão ainda é considerada desnecessária, já que os moradores da região já vivem a uma distância segura. As autoridades pediram à população que use máscaras.

LPF/ap/afp

Leia mais