1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Cineastas reúnem 99 motivos para que o mundo não acabe

Dupla usa a famosa profecia Maia sobre o fim do mundo para mostrar que a vida vale a pena. A produção vai contar com a ajuda dos internautas, que podem enviar vídeos para o site do filme.

Profecias para o fim do mundo não são novidade, mas poucas são tão famosas e temidas quando a antiga profecia Maia de que o mundo deve acabar no dia 21 de dezembro de 2012. Motivados por essa previsão, os cineastas Lilly Engel e Philipp Fleischmann começaram a produzir um filme sobre o temido apocalipse.

A abordagem usada pelos cineastas promete ser diferente do que já foi produzido sobre o tema. Em vez de imagens catastróficas, eles optaram por saber das pessoas por qual motivo o mundo não deve acabar.

Intitulado 99 motivos pelos quais o mundo não pode acabar, o filme será produzido com material gravado pelos cineastas e combinado com a contribuição dos internautas. Para isso, a dupla criou o site www.99gruende.de, onde qualquer um pode postar um vídeo de até três minutos com um bom motivo para que o mundo continue existindo.

A intenção dos cineastas não é, necessariamente, que seja um filme sério. Fleischmann pretende contrastar a profecia Maia com relatos da vida cotidiana, e por isso enfatiza que não há uma resposta errada. O internauta pode falar sobre amor, uma paisagem, um livro, um lugar especial ou sobre a lanchonete da esquina que deixa a vida um pouco mais saborosa.

Viajando pelo mundo

Film 99 Gründe warum die Welt nicht untergehen darf

Philipp Fleischmann diz que o filme tem a intenção de ser divertido

Engel e Fleishmann já passaram por Alemanha e França para saber o que pessoas de várias partes do mundo pensam sobre o assunto. De acordo com Fleischmann, esta é uma chance para pessoas de culturas diferentes compartilharem histórias pessoais que exemplifiquem por que a vida vale a pena.

Entre os entrevistados também estão profissionais alemães renomados, como o cineasta Klaus Lemke e Roland Emmerich, considerado atualmente o diretor alemão mais famoso de Hollywood. Não por coincidência, Emmerich é bem conhecido por fazer filmes de catástrofe e dirigiu a produção 2012, sobre o fim do mundo. A produção custou 200 milhões de dólares e foi um sucesso de público, gerando 760 milhões de dólares em receita.

Entre as pessoas que acreditam na profecia Maia, os cineastas entrevistaram alemães que estão se preparando para o dia 21 de dezembro. Algumas famílias estão estocando alimentos e já alugaram um bunker (abrigo subterrâneo fortificado), com a intenção de se proteger do fim do mundo.

Já os franceses são mais céticos, dizem os produtores. Ninguém admitiu estar se preparando para o apocalipse. Os cineastas contam que alguns nem mesmo entenderam a pergunta. A próxima parada é o Canadá, onde Engel e Fleishmann poderão comparar as opiniões do Velho e do Novo Mundo.

A finalização do filme vai contar com a trilha sonora do cantor e compositor Mark Lanegan, da extinta banda americana Screeming Trees. Lanegan também vai aparecer diante da câmera ao lado do lendário baterista Pete York. A data escolhida para a estreia do filme foi, justamente, o dia 21 de dezembro de 2012. Será que ainda estaremos aqui para ver?

Autor: Bernd Sobolla (fa)
Rrevisão: Francis França

Leia mais

Links externos