1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Chuvas matam ao menos 16 na Riviera Francesa

Em algumas áreas da região, choveu em três horas quantidade de água equivalente à de dois meses, transformando ruas em rios. Cinco pessoas estão desaparecidas. Alguns morreram tentando colocar seus carros em segurança.

Pelo menos 16 pessoas morreram em decorrência de fortes chuvas e inundações que atingiram a Riviera Francesa durante a madrugada, e outras cinco estão desaparecidas, segundo informaram autoridades francesas neste domingo (04/10).

Em algumas áreas, em menos de três horas caiu uma quantidade de água equivalente à de dois meses, transformando as ruas de Cannes, Nice e Antibes em rios cheios de detritos.

Em Cannes, sede do famoso festival de cinema, as águas chegaram a arrastar para o mar carros que estavam estacionados na orla, informou a prefeitura.

O presidente francês, François Hollande, visitou a região, acompanhado do seu ministro do Interior, Bernard Cazeneuve. Ele expressou "solidariedade da nação" em relação aos afetados. "Nesses momentos, devemos ser rápidos, eficientes e coordenados", disse. Ele ressaltou, ainda, que a população deve estar preparada para mais chuvas fortes e pediu para que todos tenham cautela.

Garagens subterrâneas

Três pessoas morreram quando a água invadiu um asilo para idosos em Biot, perto de Antibes, e três motoristas se afogaram quando tentavam atravessar com seus carros um pequeno túnel alagado em Vallauris-Golfe-Juan e foram surpreendidos pela subida repentina das águas.

As equipes de resgate em Mandelieu-la-Napoule afirmaram que a água estava tão escura que dificultava a busca por mais corpos em estacionamentos subterrâneos, onde pelo menos sete pessoas morreram. "É apocalíptico", disse o prefeito Henri Leroy. "Há milhares de veículos. Pode haver mais corpos." As autoridades acreditam que muitos morreram tentando colocar seus carros em segurança.

Em Cannes, duas pessoas foram mortas e duas outras estão desaparecidas. O prefeito da cidade, David Lisnard, criticou duramente alguns moradores que, segundo ele, preferiram se preocupar com seus pertences a buscarem segurança. "Não estou julgando, porque eu não sei como reagiria nesta situação, mas parece que tivemos algumas pessoas que ficaram mais apegadas a seus veículos que à própria vida", disse. Nove pessoas foram presas por tentarem roubar lojas após a tempestade, segundo ele.

MD/dpa/afp

Leia mais