1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Chuva de panfleto comunista na Coreia do Sul

Sul-coreanos afirmam que em uma semana regime de Pyongyang jogou sobre seu território mais de um milhão de folhetos, usando balões de hélio. Guerra propagandística se intensificou após teste nuclear.

default

Panfletos de propaganda norte-coreana chegaram até Seul

A Coreia do Norte lançou sobre a Coreia do Sul um milhão de panfletos de propagada através da fronteira, revelou nesta segunda-feira (18/01) o governo em Seul. Os folhetos foram enviados por militares norte-coreanos na semana passada por meio de balões de hélio.

A ação é aparentemente uma resposta à difusão de propaganda sul-coreana por alto-falantes na fronteira com a Coreia do Norte. Os panfletos, enviados diariamente por Pyongyang, chegaram a um milhão em uma semana.

De acordo com o Ministério da Defesa, a maioria dos panfletos foi encontrada perto da fronteira, na província de Gyonggi, mas alguns chegaram a Seul. O país comunista teria usado balões com temporizadores para programar o local e o horário de sua explosão.

Aparentemente inofensivos, os balões também podem causar estragos. Um deles, que levava cerca de 10 mil panfletos, caiu sobre um carro. A explosão causou danos no teto do veículo.

Alguns dos folhetos tinham imagens de desenhos animados e mostravam a presidente sul-coreana, Park Geun-hye, vestido biquíni e caindo em um balde de lixo. Essa não é a primeira vez que Pyongyang ataca Park de forma sexista e depreciativa.

A tensão entre as Coreias aumentou no início de janeiro, após Pyongyang realizar testes de bombas nucleares. Desde então, Seul reativou seu sistema de alto-falantes na fronteira entre os dois países e planeja construir painéis eletrônicos gigantes na região para enviar mensagens e vídeos.

No início de janeiro, a Coreia do Norte confirmou seu primeiro

"teste bem-sucedido" de uma bomba de hidrogênio

, que tem potência muito maior do que uma bomba nuclear comum. Especialistas, porém, duvidam que o país tenha realmente uma bomba H.

CN/dpa/apf/ap/lusa

Leia mais