1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Chile admite possível assassinato de Pablo Neruda

Governo afirma que participação de terceiros na morte de poeta é "altamente provável", mas ressalta que peritos não chegaram a conclusão. Oficialmente Neruda morreu de câncer em 1973.

default

Neruda era membro do Comitê Central do Partido Comunista no Chile

O governo do Chile admitiu que Pablo Neruda pode ser sido assassinado. O poeta chileno morreu em circunstâncias suspeitas no dia 23 de setembro de 1973, duas semanas depois do golpe militar que levou Augusto Pinochet ao poder.

Em comunicado, o Ministério chileno do Interior afirmou que Neruda pode não ter morrido de câncer. "É claramente possível e altamente provável a participação de terceiros" na morte do poeta, disse o documento.

O ministério, no entanto, ressaltou que uma equipe de peritos não chegou a uma conclusão. O documento, divulgado pela imprensa nesta quinta-feira (05/11), foi enviado pelo governo ao juiz que está investigando o caso, em março.

Neruda morreu no dia 23 de setembro de 1973, exatamente 12 dias após o golpe militar no Chile. De acordo com a versão oficial aceita até os dias de hoje, a causa da morte do poeta seria um câncer.

No entanto, o motorista de Neruda na época, Manuel Araya, que o levou para o hospital, contesta essa versão. Ele tem certeza de que o poeta, crítico do regime, foi intoxicado com alguma substância analgésica.

O poeta era membro do Comitê Central do Partido Comunista e amigo próximo do presidente Salvador Allende, que foi deposto pelo golpe que levou Pinochet ao poder. Com o início da ditadura, Neruda planejava se exilar no exterior.

A morte de Neruda foi tão controversa que seu corpo foi exumado em 2013. Peritos, porém, descartaram que o poeta tenha morrido por envenenamento. Sua família não ficou satisfeita com a avaliação e pediu uma investigação mais profunda.

CN/efe/ap

Leia mais