Chefe da zona do euro nega rumor de que Grécia vá abandonar moeda | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 07.05.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Chefe da zona do euro nega rumor de que Grécia vá abandonar moeda

Jean-Claude Juncker diz que deixar o euro é uma ideia estúpida. Comissão Europeia nega que a hipótese tenha sido debatida em reunião de ministros das Finanças.

Grécia adotou o euro em 2001

Grécia adotou o euro em 2001

A difícil situação da Grécia foi debatida numa reunião de representantes das maiores economias da zona do euro, ocorrida na noite desta sexta-feira (06/05) em Luxemburgo. Possíveis decisões tomadas no encontro – que não foi anunciado e inicialmente chegou a ser desmentido – não foram comunicadas.

O presidente do grupo do euro e primeiro-ministro de Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, disse apenas que os participantes descartaram qualquer tipo de remanejamento da dívida grega, sem adiantar mais detalhes.

O caráter misterioso da reunião alimentou especulações na imprensa alemã. Na sexta-feira, o website Spiegel Online publicou que a Grécia considera abandonar o euro, o que pressionou a cotação da moeda comum europeia. O governo grego desmentiu a reportagem.

Sem dar fontes, a versão online da revista afirmou que Atenas enviou sinais à Comissão Europeia e a outros governos da zona do euro de que estaria planejando abandonar a moeda, adotada pela Grécia em 2001.

"Ideia estúpida"

Na sexta-feira, Juncker negara que haveria o encontro em questão. No sábado, um comunicado à imprensa dizia que ele e a ministra francesa das Finanças, Christine Lagarde, convocaram uma reunião de caráter informal – a França ocupa a presidência rotativa do G20.

Também participaram do encontro os ministros das Finanças da Alemanha, da Espanha, da Itália e – a convite especial de Juncker –Giorgos Papaconstantinou, da Grécia. O presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, e o comissário de Assuntos Econômicos da União Europeia, Olli Rehn, também estavam presentes.

Neste sábado, Rehn esforçou-se em desmentir que os ministros tenham se reunido exclusivamente para debater a crise grega. Ele ressaltou o caráter informal do encontro, no qual não teriam sido tomadas decisões.

A nota oficial da reunião afirma que, além dos problemas da Grécia, uma série de outros temas também foram debatidos. A ideia de deixar a zona do euro foi qualificada como "estúpida" por Juncker. Papaconstantinou assegurou que em nenhum momento foi debatida a possibilidade de a Grécia deixar o euro.

Pano de fundo das especulações são os temores de que a ajuda bilionária oferecida pela União Europeia e pelo FMI seja insuficiente para impedir a quebra do Estado grego. Reuniões como a desta sexta serviriam para debater opções para diminuir a dívida grega, que soma 327 bilhões de euros. Jornais do país falam até mesmo de um novo pacote de ajuda.

AS/dpa/rtr/afp
Revisão: Augusto Valente

Leia mais