1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Cerimônia na França homenageia vítimas de ataques em Paris

Em homenagem, duas semanas após atentados, presidente promete destruir o "Estado Islâmico" e pede a franceses que respondam ao "exército de fanáticos" com música. Vítimas e familiares de mortos estavam presentes.

A França homenageou nesta sexta-feira (27/11) as vítimas dos ataques que deixaram 130 mortos e mais de 350 feridos há duas semanas em Paris. Em cerimônia realizada na área externa do Palácio dos Inválidos, na capital francesa, o presidente François Hollande prometeu acabar com o grupo terrorista "Estado Islâmico" (EI), que assumiu a autoria dos atentados.

"Prometo solenemente que a França fará de tudo para destruir o exército de fanáticos que cometeram esses crimes e que agirei incansavelmente para proteger seus filhos", afirmou Hollande, na cerimônia que reuniu cerca de 2 mil de pessoas, incluindo familiares das vítimas dos ataques.

Franceses decorarm as fachadas com as cores da bandeira

Franceses decorarm as fachadas com as cores da bandeira

A cerimônia começou com a chegada do presidente ao som da Marselhesa, o hino nacional da França. Fotografias e o nome dos 130 mortos nos ataques foram mostrados em um telão, acompanhadas da canção Quand on n'a que l'amour ("quando o amor é tudo que se tem", em tradução livre), do belga Jacques Brel.

"Foram 130 destinos roubados, 130 risadas que nunca mais serão ouvidas", disse Hollande, e acrescentou que, além da França, 17 países perderam cidadãos nos atentados na capital francesa.

"Eles representavam vida, e por representar vida eles foram mortos. Eles eram a juventude da França, a juventude de um povo livre que ama cultura. Essa é a música insuportável para os terroristas. É essa alegria que eles querem enterrar nas nossas vidas", afirmou Hollande.

O presidente pediu ainda que a França responda "ao exército de fanáticos" com mais música e shows. "Não daremos a eles nem ódio nem medo", conclamou.

Vítimas dos ataques e familiares dos mortos participaram das honrarias oficiais no mausoléu militar

Vítimas dos ataques e familiares dos mortos participaram das honrarias oficiais no mausoléu militar

A homenagem contou com a presença de vítimas dos atentados, além de integrantes do governo, de organizações e partidos políticos, representantes da sociedade civil e instituições religiosas.

Há exatamente duas semanas, extremistas promoveram uma série de ataques na capital francesa. Além de atentados de homens-bomba, os terroristas invadiram bares e restaurantes atirando contra o público.

Ao todo, seis locais foram atacados: a casa de espetáculos Bataclan, as proximidades do estádio Stade de France, o restaurante Le Petit Cambodge, o bar Le Carrilon, a pizzaria Casa Nostra e o bar Belle Equipe. O Bataclan foi o palco do mais sangrento ataque, onde os terroristas fizeram reféns e mataram 89 pessoas.

Entre os 350 feridos

nos ataques do dia 13 de novembro

, 97 continuam hospitalizados e 18 estão em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

CN/dpa/rtr/afp

Leia mais