Centro de documentação Topografia do Terror é inaugurado em Berlim | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 06.05.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Centro de documentação Topografia do Terror é inaugurado em Berlim

No local onde foram interrogados e torturados mais de 15 mil opositores do regime nazista, inaugurou-se centro de documentação Topografia do Terror. Centro abriga exposição sobre aparato de segurança nazista.

default

Muro de Berlim e passado nazista marcam local do centro

Em comemoração aos 65 anos do fim da Segunda Guerra Mundial, o presidente da Alemanha, Horst Köhler, inaugurou nesta quinta-feira (6/05) o centro de documentação e exposição Topografia do Terror, no local onde funcionavam os quartéis-generais da SS e da Gestapo, em Berlim.

Na área localizada no centro da capital alemã, próxima à praça Potsdamer Platz, mais de 15 mil opositores do regime nazista foram interrogados e torturados, entre 1933 e 1945. Após a Segunda Guerra, os restos dos edifícios foram derrubados e o terreno foi terraplenado – caindo em esquecimento à sombra do Muro de Berlim, erguido em 1961.

Em 1987, como parte das comemorações dos 750 anos da cidade, foi inaugurada a exposição ao ar livre Topographie des Terrors (Topografia do Terror), em um espaço provisório no local, visitado anualmente por mais de meio milhão de pessoas. No início dos anos 1990, surgiu a ideia de construir um edifício permanente para abrigar a exposição.

Após diversos transtornos em torno da edificação a ser erguida no local – que incluíram a demolição de parte da estrutura já construída de um primeiro projeto feito pela estrela da arquitetura suíça Peter Zumthor – um prédio sóbrio e transparente passa a abrigar os 800 metros quadrados da exposição permanente sobre o sistema de terror instalado pelos nazistas.

Importância para história

Topographie des Terrors

Sobriedade do edifício garante seu êxito, diz historiador

O historiador alemão Ulrich Herbert participou, em seus primórdios, da concepção do centro de documentação Topografia do Terror em Berlim. Herbert disse considerar o novo memorial "um êxito".

Devido ao edifício sóbrio e funcional, o local e o objeto da exposição estariam no centro das atenções, mas não a "problemática da estética de um prédio de museu", declarou o professor de história recente e moderna na Universidade de Freiburg.

Na exposição, disse o professor, está representado todo o conjunto do aparato de segurança nacional-socialista, como também a história do período subsequente. "Porque a grande maioria dos funcionários do aparato de segurança não foi penalizada após 1945", salientou o historiador.

Para Herbert, a exposição é de grande importância para história da República Federal da Alemanha. "Porque, querendo ou não, este país se encontra na tradição desse regime", afirmou.

Fundação Topografia do Terror

Baustelle Dokumentationszentrum Topographie des Terrors Flash-Galerie

Exposição ao ar livre era visitada por meio milhão de pessoas por ano

O centro de documentação que, juntamente com o paisagismo dos 4,5 hectares do terreno onde está localizado, custou 26 milhões de euros, mostra, entre outros, uma versão ampliada da exposição ao ar livre, que até poucas semanas atrás se encontrava no local. Além disso, o prédio abriga salas para seminários, uma biblioteca e escritórios da Fundação Topografia do Terror.

Além do presidente alemão, participaram da cerimônia de inauguração do centro nesta quinta-feira o prefeito de Berlim, Klaus Wowereit, a presidente do Conselho Central dos Judeus da Alemanha, Charlotte Knobloch, e o ministro alemão da Cultura, Bernd Naumann.

CA/apn/epd/dw/dpa
Revisão: Augusto Valente

Leia mais