1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Cem anos de garrafa térmica

Cabe ao alemão Reinhold Burger o mérito de ter desenvolvido e lançado no mercado a garrafa térmica para uso doméstico, em 1903.

default

Reinhold Burger (1866-1954)

Assim como a maioria das invenções, a garrafa térmica tem uma história contraditória. Foi o físico e químico inglês James Dewar (1842-1923) quem inventou o sistema de isolamento a vácuo, que é o princípio da garrafa térmica.

A idéia é tão simples quanto genial: trata-se de um vaso de vidro de paredes duplas com um espaço no meio, fechado a vácuo. As paredes recebem um revestimento metálico, formando superfícies espelhadas.

O vácuo tem a função de impedir a transferência de calor e as superfícies espelhadas servem para refletir o calor, impedindo assim que este seja transmitido por radiação. Dessa forma, a garrafa térmica pode conservar líquidos com temperaturas diferentes do meio ambiente: tanto mais quentes como mais frias. Mas é claro que as temperaturas se igualam com o tempo, pois não existe vácuo absoluto e nem espelhos 100% refletores.

Ao inventar o princípio da garrafa térmica, em 1890, Dewar pretendia apenas isolar e conservar soluções em laboratório. Ele não pensou em patentear sua criação, considerando que se tratava de um presente para a humanidade.

Fabricante de vidros

No dia 1º de outubro de 1903, o alemão Reinhold Burger, um fabricante de vidros de Glashütte, patenteou a garrafa térmica para uso doméstico. Ele chamou-a de "Thermos". As vantagens desse novo produto, destinado a conservar o calor e o frio, foram descobertas inicialmente pelos nobres e burgueses. As garrafas térmicas passaram a ser indispensáveis nas caças, passeios de automóveis e de balão, e também como acessório de viagens.

Enfrentando dificuldades para comercializar o seu produto, Reinhold Burger vendeu os direitos de sua firma – a Thermos AG – à American Thermos Bottle Company. Os americanos logo começaram a produzir a garrafa térmica em escala industrial, ganhando assim muito dinheiro e popularizando a invenção.

Exposição em Glashütte

O centenário da patente da garrafa térmica está sendo comemorado com uma exposição no museu de Glashütte (Museumsdorf Glashütte), pequena cidade do Leste da Alemanha onde se produz vidro desde o século 13.

A exposição mostra os fundamentos técnicos da garrafa térmica, reproduzindo a oficina original de Reinhold Burger. O visitante tem a oportunidade de conhecer os métodos e ferramentas para se produzir vidro, no início do século 20: o forno para esquentar o vidro, o tubo e o bocal para soprar as pequenas peças e um gigantesco fole suprir de ar o forno.

Garrafa térmica como há 100 anos

O princípio da garrafa térmica é ainda o mesmo de há 100 anos, explica Georg Goes, diretor do museu de Glashütte. Só o nome teve de mudar. O termo alemão "Thermosflache" (garrafa térmica) teve de ser substituído por "Isolierflasche" (garrafa isolante), pois a patente do nome foi comprada por uma empresa japonesa.

Leia mais

Links externos