1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

CDU sofre queda considerável em Hessen

Partido da premiê Angela Merkel obteve clara vitória na Baixa Saxônia, mas sofreu perdas consideráveis em Hessen. Atual governador, Roland Koch, perdeu maioria absoluta no governo estadual.

default

Koch, atual governador de Hessen, e a concorrente, Ypsilanti

Após registrar uma queda dramática na preferência do eleitor em Hessen, a União Democrata Cristã (CDU) do atual governador Roland Koch perdeu a maioria absoluta com que governava desde o último pleito. Devido ao provável ingresso do partido A Esquerda na Assembléia Estadual, permanece incerto se o partido da chanceler federal Angela Merkel continuará fazendo parte do governo no quinto maior estado federado alemão.

De acordo com os resultados preliminares da eleição deste domingo (27/01), a CDU obteve 36,8% dos votos (no pleito de 2003 haviam

Deutschland Wahlen Landtagswahlen Hessen SPD Andrea Ypsilanti

Andrea Ypsilanti, candidata do SPD, chegou a estar na frente durante a apuração dos votos

sido 48,8%), enquanto o principal concorrente, o Partido Social Democrata (SPD), ficou com 36,7% (29,1% em 2003).

O terceiro melhor resultado foi registrado pelo Partido Liberal (FDP) com 9,4%, seguido pelo Partido Verde com 7,5%. A Esquerda teria obtido 5,1% dos votos, garantindo a participação na Assembléia Legislativa de Wiesbaden.

A entrada de A Esquerda no governo tornaria impossível que uma das coalizões almejadas pelos dois grandes partidos – CDU/liberais ou verdes/social-democratas – atinja o número mínimo de mandatos para poder governar.

CDU: vitória clara na Baixa Saxônia

Já na Baixa Saxônia a CDU obteve uma clara vitória com 42,5% dos votos e o governador Christian Wulff confirmou que dará prosseguimento ao governo de coalizão com o Partido

Deutschland Wahlen Landtagswahlen Niedersachsen CDU Christian Wulff

Christian Wulff permanece governador da Baixa Saxônia

Liberal (FDP). O SPD é o segundo colocado, com 30,3% dos votos – o pior resultado jamais obtido pelo partido neste estado. Os liberais obtiveram 8,2% dos votos e os verdes, 8%, enquanto A Esquerda assegurou seu ingresso também na Assembléia Legislativa de Hannover com 7,1% dos votos.

Em Hessen, onde estão inscritos cerca de 4,4 milhões de eleitores, a participação no pleito foi de 64,3% (64,6% em 2003). Na Baixa Saxônia, onde estão inscritos 6,1 milhões de eleitores, a participação caiu de 67% em 2003 para 57%, a mais baixa já registrada no estado.

Conseqüências no governo federal

Especialistas acreditam que os resultados destas eleições influenciarão fortemente o direcionamento político dos partidos para as próximas eleições federais em 2009 e também o clima da atual coalizão entre SPD e CDU no âmbito federal, uma vez que Koch e Wulff são os vices de Merkel na presidência do partido. A líder do Partido Verde, Claudia Roth, falou em uma "derrota gritante" para o atual governador Koch, que muito negativamente afetaria a premiê Merkel.

Além disso, as próximas eleições regionais em Hamburgo (24/02) e na Baviera (28/09) poderão alterar ainda mais o panorama político do país. Segundo pesquisas recentes, em Hamburgo, onde a CDU hoje governa sozinha, uma coalizão entre verdes e social-democratas poderia assumir o poder.

Deutschland Wahlen Landtagswahlen Hessen Roland Koch

Koch pode perder governo de Hessen após campanha populista e xenófoba

Por enquanto, mesmo que Roland Koch perca o governo de Hessen, não haveria grandes conseqüências para a coalizão federal, já que a CDU conta com o apoio de 44 dos 69 membros do Bundesrat, a câmara alta do Parlamento alemão, e a maioria para governar estaria garantida mesmo que perdesse os cinco votos de Hessen.

Opções possíveis

Em Hessen, a CDU almeja uma coalizão com o FDP, partido com o qual governou de 1999 a 2003. Já o SPD pretende formar uma coalizão com os verdes – foi lá que se formou pela primeira vez, de 1985 a 1987, uma coalizão entre os dois partidos no âmbito estadual. Tanto SPD quanto CDU rejeitaram a possibilidade de formar uma coalizão entre si. Já para o FDP, o único parceiro possível é a CDU, o que elimina uma possível coalizão sua com verdes e social-democratas.

Como os verdes também excluíram a possibilidade de governar com CDU e FDP, cai mais esta possibilidade. O aumento considerável obtido pelo partido A Esquerda, por outro lado, aumenta as chances de uma união de esquerda entre SPD, A Esquerda e Partido Verde – por mais que a candidata do SPD, Andrea Ypsilanti, tenha rejeitado a possibilidade de cooperar com este partido ou mesmo de aceitar um governo de coalizão com os verdes sob tolerância de A Esquerda. (rr/rw)

Leia mais