1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

CDU perde maioria absoluta no Parlamento de Hamburgo

Resultado eleitoral obriga partido do atual prefeito Ole von Beust a formar uma aliança para se manter no poder. Coligação entre CDU e Partido Verde, inédita na política estadual alemã, não é descartada.

default

Ole von Beust, da CDU, (e) e Michael Naumann, do SPD, candidatos em Hamburgo

Quatro semanas após a eleição em que registrou uma queda de 12 pontos percentuais na preferência dos eleitores de Hessen, a CDU perdeu neste domingo (24/02) a maioria absoluta que tinha no Parlamento de Hamburgo.

De acordo com projeções da emissora de televisão ZDF divulgadas às 21h45 (horário local), o partido da chanceler federal Angela Merkel alcançou 42,6% dos votos, ante 47,2% das eleições anteriores, em 2004. O resultado obriga a CDU a se coligar com um outro partido para que o atual prefeito e candidato à reeleição, Ole von Beust, continue no poder.

Resultados

Como havia sido previsto pelos institutos de pesquisa, o partido A Esquerda conseguiu ultrapassar a barreira de 5% dos votos e ingressou no Parlamento da cidade-estado. Mas o percentual de 6,4% ficou abaixo do previsto. A Esquerda tem agora representantes nos parlamentos de 10 dos 16 estados alemães.

Segundo a ZDF, o SPD obteve 34% dos votos, melhora ante o recorde negativo de 30,5% de 2004. Ainda assim, a votação deste domingo é a segunda pior que o partido social-democrata já obteve em Hamburgo. O Partido Verde perdeu eleitores, caindo de 12,3% em 2004 para 9,6%.

A situação do Partido Liberal Democrático (FDP), que na eleição anterior alcançou apenas 2,8%, permanecia indefinida na noite de domingo. A projeção da ZDF atribuía 4,8% dos votos ao partido, abaixo do percentual mínimo de 5% necessário.

Coligações

As discussões em torno da formação de uma maioria parlamentar apontam para duas opções: uma grande coalizão entre CDU e SPD ou uma união entre CDU e Partido Verde, o que seria inédito na política estadual alemã. O candidato do SPD, Michael Naumann, disse que não aceita o apoio de A Esquerda, impedindo uma coalizão entre SPD, Partido Verde e o novo partido esquerdista.

Tanto a CDU como o Partido Verde se declararam dispostos a conversar sobre uma possível coligação. O secretário-geral da CDU, Ronald Pofalla, disse que a aliança enriqueceria a política alemã com uma nova combinação de cores (o preto, cor da CDU, com o verde) e não é descartada pela direção do partido. O presidente nacional do Partido Verde, Reinhard Bütikofer, foi claro: "Se ele [Beust] quer conversar, vamos conversar."

Temas nacionais

A campanha eleitoral na segunda maior cidade alemã foi marcada pelo debate de temas nacionais, notadamente a formação do governo de Hessen – após o presidente do SPD, Kurt Beck, admitir pela primeira vez a possibilidade de contar com os votos dos parlamentares de A Esquerda no estado – e o escândalo fiscal de Liechtenstein, que teria atraído eleitores para A Esquerda.

A participação dos eleitores na eleição deste domingo caiu em relação a 2004. De acordo com a ZDF, em torno de 63% dos eleitores aptos a votar compareceram às urnas, ante 68,7% na eleição anterior.

Leia mais