1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

CD sob medida contra piratas musicais

Quantas vezes compramos um álbum apenas por causa de uma determinada faixa, o resto é mero lastro musical. Uma loja de Lübeck realiza o sonho de muitos melômanos e revoluciona o consumo musical: o "CD individual".

default

Com o 'CD individual' o consumo de música será interativo

Ponto para a indústria fonográfica na penosa luta contra a pirataria musical na internet. Com a participação de Sony Music e Universal Music, a firma IMHG, da cidade de Lübeck, está introduzindo o sistema individual CD.

Munido de um minicomputador (seu personal digital assistant), o cliente do Pressezentrum escaneia o código de barras dos CDs expostos. O PDA comunica a escolha ao banco de dados interno. Através de uma tela touch screen, o comprador acessa o arquivo sonoro, onde pode escutar até 30 segundos de cada faixa armazenada, para selecionar e ordenar um máximo de 15 dentre os 20.000 títulos disponíveis.

Em seguida, dirige-se ao caixa, onde seu CD pessoal é gravado num prazo de quatro a cinco minutos. Cada título custa 0,99 euro, mais dois euros pelo CD virgem, gravação, estojo e impressão da capa – personalizada, é claro. Assim, um CD individual acaba custando aproximadamente o mesmo que um álbum convencional.

Pagar só pelo que se ouve

A idéia não é nova, mas sua implementação exigiu anos e uma certa coragem. Longe de competir com os CDs "normais", o sistema visa o consumidor que, não estando disposto a comprar um CD só por causa de uma faixa ou duas, acabaria baixando-as da internet em MP3, muito provavelmente de um site pirata.

Martin Salzmann, proprietário do Pressezentrum, tem sido, ele mesmo, vítima desse comportamento dos consumidores: a participação da venda de CDs no faturamento total de sua loja caiu de 70%, em 1999, para menos de 50%, em 2002.

Salzmann está negociando com outras grandes da indústria fonográfica, como a BMG, EMI e Warner Music, com o fim de ampliar sua oferta para um milhão de títulos. Caso o projeto vingue, ele será aplicado – também em caráter experimental – em outras lojas, dentro dos próximos seis meses, revelou Mic Jogwer, do departamento "New business" da Sony Music. No futuro, o sistema poderá até mesmo ser instalado em postos de gasolina, hotéis e outros locais públicos.

Leia mais

Links externos