Cavalera Conspiracy mostra seu segundo disco em turnê pela Europa | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 26.06.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Cavalera Conspiracy mostra seu segundo disco em turnê pela Europa

Banda dos irmãos fundadores do Sepultura, Max e Igor, Cavaleira traz à Europa show de seu novo disco “Blunt Force Trauma”. O disco consolida o grupo como grande nome do metal, mantendo-se fiel à atitude do antigo grupo.

Cavalera Conspiracy is a heavy metal group formed by Brazilian brothers Max Cavalera (vocals, guitar) and Igor Cavalera (drums)

Cavalera Conspiracy apresenta novo disco em turnê na Europa

Depois de mais de dez anos sem dividir o palco, os irmãos Max e Igor Cavalera voltaram a tocar juntos no Cavalera Conspiracy, em 2007. A banda está em turnê pela Europa, para apresentar seu segundo disco, Blunt Force Trauma, lançado em março.

A história dos irmãos Cavalera foi escrita junto com a história do metal no Brasil. Os irmãos de Belo Horizonte formaram em 1984 o Sepultura, uma das bandas brasileiras mais bem sucedidas no exterior.

Depois do reconhecimento do público e da crítica com álbuns como Arise e Roots, Max deixou a banda em 1996 por divergências pessoais e formou o Soulfly. Dez anos depois, foi a vez de Igor sair do Sepultura para se dedicar ao projeto Mixhell.

No mesmo ano de 2006, os irmãos colocaram as diferenças de lado e Igor participou de um show do Soulfly, tocando duas músicas do Sepultura. Desse reencontro nasceu o Cavalera Conspiracy.

Mesma energia, mais maturidade

Der Sänger Max Cavalera der brasilianischen Hardrockband Soulfly

A banda brasileira Sepultura tem fãs em todo o mundo

O nome da banda não poderia ser mais apropriado para celebrar a volta aos palcos dos irmãos Cavalera. O disco de estreia, Inflikted, veio no ano seguinte, com a força e a inspiração dos melhores trabalhos do Sepultura, mas sem se prender a saudosismos. A glória da conspiração está no presente.

"O mais interessante do Cavalera Conspiracy é que é um trabalho novo que não vive e nem se preocupa com o passado. Nosso público é uma mistura de antigos fãs do Sepultura e de uma nova geração", diz Igor Cavalera.

Depois do álbum de estreia e de uma turnê juntos, Max e Igor consolidaram o som do Cavalera Conspiracy com o novo disco, Blunt Force Trauma, que é uma evolução natural do trabalho de estreia. "Os dois discos foram feitos da mesma maneira espontânea. Para mim um é continuação do outro", diz Igor.

Já o som mais bem cuidado e produzido é um reflexo da experiência e dos anos de estrada. "Realmente estamos mais maduros e experientes, pois quando fizemos os dois álbuns, a atitude minha e a do Max foi a mesma de quando começamos no Sepultura."

A respeito de uma reunião do Sepultura, o baterista disse que ele o irmão já fizeram propostas, mas a banda, hoje liderada pelo guitarrista Andreas Kisser, parece não estar interessada.

Projetos paralelos

Cavalera Conspiracy is a heavy metal group formed by Brazilian brothers Max Cavalera (vocals, guitar) and Igor Cavalera (drums)

Os irmãos Max e Igor Cavalera

Desde o reencontro, a ideia de Max e Igor era formar uma nova banda, apesar dos dois continuarem com suas respectivas bandas. O Mixhell é o projeto que Igor tem com sua mulher, Laima, e que, para a surpresa dos antigos fãs do Sepultura, faz musica eletrônica.

"Queríamos fazer algo juntos no campo da arte ou da música. Discotecávamos juntos por diversão e o Mixhell acabou acontecendo. Para mim não foi uma transição. Sempre experimentei vários estilos musicais e já havia utilizado elementos do hip hop e de música tribal com o Sepultura", explica Igor.

Entre os projetos futuros do guitarrista está um álbum de remixes do Cavalera Conspiracy e o disco de estreia de sua banda eletrônica. "Depois dos shows na Europa, volto a tocar e produzir com o Mixhell. Temos muitos remixes legais para serem lançados em breve e gravar nosso disco." A turnê do Cavalera Conspiracy percorre a Europa até o dia 7 de julho.

Texto: Marco Sanchez
Revisão: Francis França

Leia mais