1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Casos de gripe aviária são confirmados na Inglaterra e Holanda

Holanda determina abate de 150 mil frangos e proíbe transporte de aves e derivados. Inglaterra também confirmou presença do vírus. União Europeia deve proibir a venda de aves originárias de países com casos da doença.

Após a confirmação de um caso de gripe aviária na Holanda, autoridades do país estão vistoriando nesta segunda-feira (17/11) granjas na região central, próximas à fazenda em Hekendorp, onde uma ave foi diagnosticada com uma linhagem altamente contagiosa do vírus, a H5N8.

"Estamos vistoriando outras 16 granjas que ficam em um raio de 10 quilômetros da fazenda afetada. Até agora, nenhum outro caso foi detectado", afirmou Lex Denden, do Departamento holandês de Segurança de Produtos e Alimentos para o Consumidor.

Além da vistoria, cerca de 150 mil frangos da fazenda devem ser abatidos até o final desta segunda-feira, para evitar a propagação da doença. O transporte de aves e derivados foi proibido no país a partir deste domingo por três dias. Na região de Hekendorp, no entanto, a proibição é de 30 dias.

No domingo, o porta-voz do Ministério da Economia holandês Jan van Diepen afirmou que a estirpe do vírus da gripe aviária identificada também pode infectar humanos.

"Para aves essa estirpe é altamente patogênica. Para os humanos ela não é perigosa, mas contagiosa, se houver contato muito próximo com as aves", afirmou van Diepen.

Vogelgrippe auf Geflügelfarm in den Niederlanden ausgebrochen

Autoridades holandesas vistoriam fazendas em Hekendorp

Apesar de a estirpe H5N8 nunca ter sido detectada em humanos, um surto na Coreia do Sul levou ao abate de milhões de aves para impedir a expansão da epidemia. Casos dessa infecção já foram descobertos na China, Japão e o primeiro na Europa surgiu na Alemanha no início de novembro, em uma fazenda do estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental.

Caso na Inglaterra

Na segunda-feira, outro caso de gripe aviária foi confirmado na Europa, desta vez no norte da Inglaterra. O vírus identificado em uma fazenda de criação de patos, no entanto, não era da estirpe H5N1, a mais perigosa. Mesmo assim, milhares de aves serão abatidas na região.

O departamento britânico de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais informou que a zona de restrição criada próximo à fazenda de Yorkshire, onde o vírus foi detectado, e o abate de cerca de 6 mil aves era necessário para evitar a propagação da infecção.

O porta-voz do departamento salientou que o "risco para a saúde pública é muito baixo e que não há perigo para a cadeia alimentar". As autoridades também estão investigando a origem do vírus.

Para conter a expansão da gripe aviária pela União Europeia, a Comissão Europeia anunciou no domingo que pretende adotar medidas urgentes, incluindo a proibição de venda de aves e produtos derivados originários de áreas atingidas. A decisão da Comissão é procedimento padrão em casos de surtos de gripe aviária.

A proibição afeta diretamente a Holanda, que exporta mais de 6 milhões de ovos por ano, além de ser líder nas exportações de frango. O principal país de destino é a Alemanha, que absorve 75% dessas exportações.

Casos no mundo

A gripe aviária é fatal para aves e uma ameaça para humanos, que podem ser infectados ao manipular animais contaminados. Desde seu aparecimento em 2003, o vírus H5N1 já matou mais de 400 pessoas, a maioria no sudeste asiático. Outra estirpe, a H7N9, identificada em 2013, também já fez mais de 170 vítimas fatais.

Esse não é o primeiro caso de gripe aviária registrado na Holanda. Em 2013, cerca de 30 milhões de aves tiveram que ser sacrificadas no país devido a um surto do vírus H7N7. Além disso, em março deste ano, 10 mil frangos foram abatidos após a identificação de um caso na província de Gelderland.

CN/rtr/afp/ap/lusa

Leia mais