1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Casal de fazendeiros alemães é assassinado no Paraguai

Governo culpa o grupo guerrilheiro Exército do Povo Paraguaio pelas mortes. Casal havia sido raptado um dia antes, durante a vacinação de gado numa fazenda no norte do país.

default

Soldados do Exército enfrentam os guerrilheiros no norte do Paraguai

Um casal alemão de fazendeiros que havia sido sequestrado um dia atrás foi encontrado morto nesta quinta-feira (29/01) no norte do Paraguai. Segundo o governo do país, eles foram mortos por guerrilheiros do Exército do Povo Paraguaio (EPP).

De acordo com o ministério, Roberto Natto, de 60 anos, e Erika Reiser, de 53, haviam sido raptados na quarta-feira passada, durante a vacinação de um de seus rebanhos na província de Concepcíon.

O casal foi morto durante uma troca de tiros entre uma unidade especial do Exército e os rebeldes, na região de Ybi Yau. "Eles foram executados por membros de um grupo de criminosos", afirmou o ministro do Interior, Francisco de Vargas. Segundo ele, o casal foi morto com tiros nas costas, disparados de uma distância inferior a cinco metros. "Pelo ângulo dos disparos, foi uma execução", afirmou.

O casal estava acompanhado de quatro funcionários no momento do sequestro. Eles disseram que, durante a vacinação do gado, foram interceptados por homens camuflados. Os funcionários foram liberados horas depois pelos sequestradores.

O presidente paraguaio, Horacio Cartes, culpou o EPP pelas mortes. "Eles agem de forma tão violenta porque estão sob pressão." Em agosto do ano passado, três pessoas foram mortas em embates entre o Exército paraguaio e os guerrilheiros.

Segundo as autoridades do país, o EPP tem entre 20 e 30 membros. O grupo é acusado de diversos atentados e da morte de mais de 15 pessoas. Entre outros, é responsabilizado pelo sequestro e morte de Cecilia Cubas, filha do ex-presidente Raúl Cubas, em 2005, e pelo atentado a bomba no Palácio da Justiça, em 2009, em Assunção.

O casal alemão vivia há mais de 30 anos no Paraguai. Os corpos foram levados para Assunção e de lá serão transportados para a Alemanha.

CA/dpa/epd/ap/rtr

Leia mais