Carros elétricos ganham feira própria em Munique | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 15.10.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Carros elétricos ganham feira própria em Munique

eCarTec, curto e conciso, é o nome da 1ª Feira Internacional de Eletromobilidade, realizada em Munique e que trouxe 195 expositores de todo o mundo para mostrar o que deve transportar as pessoas no futuro.

default

eCarTec quer aproximar fabricantes de automóveis e fornecedores de energia

Diferentemente das feiras onde já foram apresentados veículos elétricos, a de Munique se propôs a muito mais: ela ambiciona se tornar um espaço de negociação, onde fabricantes de veículos, produtores de baterias e fornecedores de energia possam se encontrar para "eletrificarem" juntos o futuro da mobilidade.

"Estávamos bastante ansiosos por essa feira. A primeira impressão é que faz todo o sentido realizar uma feira como essa. O tema eletromobilidade ganhou muito em significado, por isso é lógico criar uma plataforma para isso", diz Josef Nelles, porta-voz da E.on, gigante do mercado de energia.

É claro que uma empresa desse porte no setor elétrico não poderia ficar de fora. E a E.on trouxe consigo um pedaço do futuro. A novidade mundial apresentada pela empresa em Munique se chama carga indutiva.

"Carga indutiva significa que um veículo elétrico é carregado sem cabos. Ele fica em cima de um tipo de tapete no qual há uma bobina de indução. Embaixo do veículo encontra-se o que seria a parte complementar: uma outra bobina. No momento em que ambas são posicionadas uma sobre a outra, começa o processo de recarga. A energia é transportada sem o contato entre as bobinas, através de um campo magnético", explica Nelles

Ideal para estacionamentos. O carro é deixado sobre a esteira e, quando o motorista volta, a bateria já está novamente cheia. Um dos exemplos foi apresentado pela fabricante Tesla, a estrela da eCarTec.

Tão rápidos quanto os esportivos

Ecartec-Messe zur Elektromobilität Flash-Galerie

Modelo elétrico da Tesla tem potência equivalente a 700 cavalos

"No momento, temos o veículo elétrico mais avançado do mundo. Um superesportivo elétrico. É como um carro de 700 cavalos de potência. Nós obtivemos desde o primeiro momento 380 newtons-metro na estrada, e a maioria dos veículos precisa de 600 a 700 cavalos para conseguir isso. Ele faz de 0 a 100 em 3,9 segundos. Isso seria uma única marcha. Nossa velocidade máxima é 200 km/h", diz Craig Davis, diretor europeu da empresa californiana Tesla, que já entregou mais de 700 unidades do "jato" elétrico de dois lugares, que custa 99 mil euros, e já não dá mais conta da demanda.

Há alguns dias, ele inaugurou em Munique o primeiro salão de vendas da Tesla na Europa. Agora já existem outros também em Zurique e Mônaco. No próximo ano, a Tesla deve lançar também uma versão sedã. Até lá, a companhia deve fazer algo a respeito do armazenamento de energia, pois a Tesla precisa de uma bateria de 6.831 células de íons de lítio, o que torna os carros extremamente pesados em comparação a seus congêneres movidos a gasolina.

"Elise, o carro da Lotus que nos serviu de modelo, pesa cerca de 950 quilos. E nós já estamos nos 1.220 quilos", diz Davis, que tem se debruçado sobre o problema.

Intercâmbio de fornecedores

Ecartec-Messe zur Elektromobilität Flash-Galerie

Com um motor de 1.000 watt, Tia Paula tem autonomia de 30 quilômetros e anda 32 km/h

Em casos como esses, fabricantes de baterias como Leclanchè, da Suíça, entram em cena. Por isso, uma feira como a eCarTec, que vai além de simplesmente expor carros elétricos, era muito esperada por Armin Weiland, do conselho de administração da Leclanchè.

"A primeira impressão é inacreditavelmente positiva. Tivemos muitas conversas aqui na eCarTec. É a primeira vez que ela se realiza e já está lotada. Novas tecnologias são apresentadas. Pessoas se encontram. Esse é realmente um ponto de encontro e intercâmbio", comemora.

Mas em um ponto bem mais à frente dos veículos de quatro rodas estão os provedores de mobilidade elétrica em duas rodas. Um dos exemplos é Tia Paula, um patinete elétrico com assento, movido por um motor de 1.000 watts. Ele custa cerca de 1.800 euros e tem autonomia de 30 quilômetros a uma velocidade de 32 km/h.

Corrida sem poluição

Impressionen von der Messe ECarTec in München 2009

Zero é livre de metais pesados ou substâncias poluentes e 100% descartável

Em outro campo aparecem as motocicletas Zero, da Califórnia. "Por trás dela, está uma motocicleta livre de poluentes. Ela utiliza uma bateria – e é a única entre os veículos elétricos livre de metais pesados ou substâncias poluentes. O veículo é 100% descartável", diz Bernhard Keim, diretor da Zero na Alemanha.

Oferece portanto responsabilidade ambiental não só em relação às emissões mas também no descarte. A versão de rua ou para enduro custa 8.000 euros. Keim está – como todos os expositores – bastante empolgado com a feira.

"Aqui temos uma atmosfera como as feiras de computador tinham há 25 anos: um otimismo como raramente experimentei em feiras nos últimos anos. Aqui é muito, muito legal. Estamos firmemente convencidos de que esta feira vai se estabelecer", comemora.

Em função disso, a comissão gestora da eCarTec já reservou o dobro de espaço para a edição do ano que vem.

Autor: Taufig Khalil (ff)
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais