1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Carnaval das Culturas deve atrair 1,4 milhão de pessoas em Berlim

Grande variedade de comidas típicas e apresentações culturais deve atrair público recorde ao evento, realizado entre 21 e 24 de maio nas ruas do bairro de Kreuzberg, em Belim.

default

Jovens de Guiné-Conacri entretêm público com tambores e dança

Música, dança, teatro, acrobacia, artesanato, esporte, comidas típicas e vários idiomas marcam a 15ª edição do Carnaval das Culturas, que prossegue até o dia 24 de maio em Berlim. Ao todo, 380 barracas e quatro palcos estão montados entre as estações de metrô Mehringdamm e Hallesches Tor, no bairro de Kreuzberg, para alimentar e entreter os cerca de 1,4 milhão de visitantes esperados este ano.

Aproximadamente 950 artistas devem subir aos palcos durante os quatro dias de festa. Se a chuva dos últimos dias der uma trégua, crianças e adultos também são convidados a participar de brincadeiras e assistir a apresentações circenses e musicais, por exemplo, no gramado próximo às barracas.

Karneval der Kulturen 2010

Brasileiros vendem a tradicional caipirinha

O maior destaque do evento é o desfile no domingo (23/05). Com carros alegóricos e trajes folclóricos, cerca de 4,5 mil pessoas representando 70 nações seguem da estação de metrô Hermannplatz até a estação Yorckstraße. O desfile tem início ao meio-dia com uma cerimônia afro-brasileira feita pelo grupo de percussão Afoxé Loni, sinalizando a importância que o ritmo e a tradição carnavalesca brasileira têm no evento.

O Afoxé é comandado por uma berlinense e dois paulistanos e conta com 120 pessoas vestidas de branco e amarelo para contagiar o público com o som dos tambores baianos e a alegria do povo brasileiro. Depois dele, seguem outros 96 grupos, incluindo vários latino-americanos, como Amasonia, Aya-Huma Ecuador, Boi da Caipora Doida, Bloco Explosão, Casa Latinoamericana, Furiosa, Grupo Peru e Tangará Tanzstudio. Ao todo, o desfile deve durar nove horas.

Intercâmbio cultural

O Carnaval das Culturas foi criado em 1996 pela Werkstatt der Kulturen (WdK, em português, oficina das culturas). Na sede no bairro de Neukölln, a instituição oferece espaços de trabalho para profissionais da música, dança, teatro e literatura de diferentes origens. Ali, cidadãos alemães e de outras nacionalidades, culturas e religiões se encontram para desenvolver projetos que busquem promover o intercâmbio e a expansão cultural dos povos imigrantes na capital alemã.

Karneval der Kulturen 2010

Apresentação de break dance no primeiro dia de festa

Segundo o departamento de estatisticas da Alemanha, 19% da população do país são imigrantes ou seus descendentes. De acordo com a WdK, em Berlim, essa porcentagem chega a 25%, com cidadãos vindos de 183 nações. A instituição também informa que, dos 3,4 milhões de habitantes da capital, 450 mil não possuem cidadania alemã.

Para a WdK, o Carnaval das Culturas é, ao mesmo tempo, um desafio e um incentivo para que imigrantes reconsiderem sua visão da terra natal e possam se situar "entre duas culturas". Além disso, a WdK também espera que a exposição do carnaval na mídia tenha efeito positivo para a auto-estima das minorias étnicas que vivem no país.

Integração

A colombiana Larissa Mejía e o marido alemão, Conrad Beckert, integram o grupo "Colômbia: 200 anos de independência" e sabem bem como é viver "entre duas culturas". Enquanto Conrad admira o jeito alegre e a capacidade latino-americana de encontrar soluções em situações adversas, a esposa Larissa se esforça, há 12 anos, para se identificar com a cultura alemã sem esquecer a colombiana. "Sei que quem tem que se adaptar sou eu", diz Larissa, para quem a maior dificuldade de integração ainda é o domínio do idioma alemão.

Karneval der Kulturen 2010

Jaqueline Casallas (esq) ensaia às vésperas do desfile

Outra colombiana do grupo, a engenheira industrial Jaqueline Casallas, diz que a experiência de contraste cultural tem sido forte. Desde que chegou a Berlim, há cerca de um ano, Jaqueline tem se impressionado com o individualismo e a falta de cordialidade no ambiente de trabalho. "Na Colômbia, as pessoas dão mais importância à família e há mais humanismo", defende. Por isso, a engenheira diz que a maioria dos amigos na Alemanha é de origem estrangeira ou tem alguma relação com a América Latina.

O grande número de escolas de música e dança com raízes latino-americanas participantes do desfile do Carnaval das Culturas mostra que não é difícil encontrar alemães interessados na cultura latino-americana. A fonoaudióloga Christine Heisler é um exemplo de que, em alguns casos, a integração com os estrangeiros parte dos próprios nativos.

Karneval der Kulturen 2010

Christine Heisler: contagiada pela energia positiva brasileira

No caso de Christine, o casamento entre as culturas brasileira e alemã se deu no samba. Desde que participou de uma oficina sobre o ritmo, há sete anos, a fonoaudióloga frequenta semanalmente a escola de samba berlinense Sapucaiu no Samba. Christine diz que, nesses encontros, tem aprendido que "os brasileiros são muito abertos, gostam de festejar e contagiam com seu jeito amigável e energia positiva".

O mestre de bateria da escola, Dietrich Kollöffel, também é alemão. Ele fundou a Sapucaiu do Samba em 1998, quando estreou no desfile do Carnaval das Culturas. Desde então, ele tem levado à avenida não só brasileiros e alemães, mas também representantes de outros países, como França, Inglaterra, Holanda, Espanha e Turquia. Em cinco edições, a escola foi premiada como um dos melhores grupos do desfile. A entrega dos prêmios aos vencedores deste ano será na segunda-feira (24).

Autor: Elton Hubner
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais