1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Cargo de técnico da seleção ainda vago

Após Otto Rehhagel ter recusado a oferta de se tornar técnico da seleção alemã, restam menos candidatos ao cargo. Os principais nomes cogitados agora: Guus Hiddunk e Lothar Matthäus.

default

Otto Rehhagel: "Não, obrigado"

Depois de Ottmar Hitzfeld, ex-técnico do Bayern de Munique, Otto Rehhagel - atual técnico da seleção grega, vencedora da Eurocopa - foi o segundo a recusar o posto de técnico da seleção alemã. Num telefonema com Franz Beckenbauer, vice-presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB), Rehnagel comunicou que não está à disposição. Ele justificou sua decisão, explicando que se comprometeu com a Grécia, construiu seu trabalho durante três anos e agora pretende cumprir sua missão até a Copa de 2006.

"Razões emocionais"

A Federação Grega de Futebol saudou a decisão de Rehhagel em continuar como técnico da seleção campeã européia. Franz Beckenbauer ficou surpreso com a recusa, sobretudo porque, apenas dois dias antes, Rehhagel tinha dado a entender que aceitaria a oferta. "As razões emocionais venceram", interpretou Beckenbauer.

Razões financeiras é que não foram. Afinal, o técnico de 65 anos ganha anualmente 600 mil euros na Grécia; ao recusar o convite da DFB, ele dispensou uma oferta de 5 milhões de euros até a Copa de 2006.

Favoritos restantes

Matthäus

Lothar Matthäus

Após a recusa dos dois principais candidatos, Hitzfeld e Rehhagel, os próximos na mira da DFB são o holandês Guus Hiddink e Lothar Matthäus, jogador que disputou mais jogos da seleção alemã.

Hiddink, que surpreendentemente levou a Coréia até a semifinal da última Copa, está preso ao contrato com o Eindhoven até 2007. Quanto a Matthäus, atual técnico da Hungria, muitos acham que lhe falta a reputação necessária para assumir a função de técnico da seleção alemã.

Leia mais