1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Candidato da oposição quer controlar entrada de imigrantes

Programa eleitoral da aliança conservadora prevê revogação de medidas sociais e ambientais do governo social-democrata e verde.

default

Edmund Stoiber discursa na convenção dos aliados democrata-cristãos.

No último dia da convenção da União Democrática Cristã (CDU), realizada em Frankfurt, a equipe do candidato à chancelaria federal Edmund Stoiber divulgou o programa eleitoral com que pretende derrotar os social-democratas no pleito de setembro. "Este Partido Social Democrático não serve nem para fazer coalizão", disse Stoiber, excluindo a possibilidade de compor com o partido da situação, em caso de vitória eleitoral.

Controle de imigração e corte de benefícios sociais

O candidato da CDU e da União Social Cristã (CSU) anunciou uma nova lei de imigração. "Quem apóia a entrada de mais imigrantes está sobrecarregando a Alemanha. Diante da alta taxa de desemprego, não é possível permitir uma maior imigração", justificou ele.

"Quem trabalha tem que ter mais dinheiro no bolso, do que quem não trabalha. Para isso, pretendo reformar o seguro-desemprego, a ajuda social e a remuneração mínima", anunciou Stoiber. Para o político Friedrich Merz, previsto para o Ministério das Finanças, "a sociedade está preparada para assumir maior responsabilidade e para desenvolver um potencial criativo individual". Através do chamado Programa "3x40", a aliança da oposição pretende reduzir para menos de 40% a participação do Estado na economia, a alíquota máxima do imposto de renda e os encargos sociais.

Suspensão de medidas ambientais

A energia atômica deverá voltar a ser uma das principais fontes energéticas da Alemanha, caso a oposição vença as eleições. Para isso, a aliança CDU/CSU pretende alterar a lei do governo social-democrata e verde que prevê o fim da energia nuclear a médio prazo. Além disso, os políticos cristãos querem impedir inicialmente o aumento do imposto ecológico, prevendo sua futura extinção. Ao invés do imposto, a oposição quer acertar uma taxa européia de redução da emissão de poluentes.

Entre outras metas, a oposição pretende aumentar a competitividade do sistema educacional e no sistema de saúde, além de financiar com verbas de privatização o médio-empresariado no território da antiga Alemanha Oriental.