Campistas permanentes trocam apartamento por vida ao ar livre | Conheça os destinos turísticos mais famosos da Alemanha | DW | 27.02.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Campistas permanentes trocam apartamento por vida ao ar livre

Quem não gostaria de morar onde os outros desfrutam férias? Por outro lado, passar o inverno ao ar livre não é para qualquer um. Só para campistas convictos, que não deixam seus trailers por nada, faça neve ou gelo.

default

Camping Jillieshof: em casa ao ar livre

Em plenos meados de fevereiro, o camping Jillieshof, na cidade renana de Bad Honnef, continua coberto pela neve. Há 26 anos, Wolfgang Fricke e sua esposa, Christine, lá estacionaram seu trailer pela primeira vez. E desde que se aposentaram, no inverno passado, passaram a morar permanentemente no acampamento, independente das condições climáticas.

A maior parte de seus conhecidos não entende como o casal prefere permanecer acampado, apesar do frio. Segundo os dois, as pessoas criticam por não saberem como é a vida no lugar. "Em primeiro lugar, eles nunca estiveram aqui e, segundo, imaginam que é só uma barraca e nada mais", diz o casal.

Mas acampamento permanente não significa férias permanentes. Todos os dias, os Frickes precisam limpar a barraca e o trailer, cuidar do jardim. No inverno, retirar a neve e manter o aquecedor a gás.

Nova vida

Dauercamping Bad Honnef

Wolfgang Fricke retira a neve de seu trailer

Para o conforto do casal, o trailer e a barraca de entrada, em forma de pavilhão, são aquecidos a 25 graus. Além disso, eles tornaram o lugar bastante aconchegante: as paredes são decoradas com paisagens, e sobre a cômoda paninhos de crochê e flores dão vida ao ambiente.

O apartamento em sua cidade natal, Colônia, está quase sempre vazio. Porém os Fricke têm que mantê-lo, já que a Alemanha não reconhece um trailer como domicílio principal. Em termos financeiros, ele é muito mais vantajoso, pois custa apenas 70 euros por mês, contra os 450 euros, mais despesas, do apartamento.

Porém, não foi o dinheiro que motivou o casal a deixar para trás a vida que tinha em Colônia. "Lá em casa o círculo de conhecidos mais ou menos se desfez – parte se mudou, parte já faleceu. Aqui, é uma comunidade de campistas: se um tem alguma coisa e o outro tem outra, um ajuda o outro", conta o casal.

Prazer sem restrições

Dauercamping Bad Honnef

Os Fricke em seu lar (potencialmente) móvel

Na Alemanha, a nova tendência são os campings luxuosos, com termas e wellness. Mas a falta de conforto não incomoda os Fricke. Basta um saco de água quente, um banheiro químico e a pequena cozinha da barraca, onde eles desfrutam livremente de prazeres culinários.

Christine conta que já está acostumada a ser chamada de "rechonchuda" pelo marido, mas o adjetivo não a incomoda. "Então eu digo: tudo bem! Melhor ser rechonchuda do que ser magra e ter alguma doença. Para mim, está ótimo se estou gorda. Todos os dias café, bolos, um copo de vinho, um copo de espumante, todo dia."

Assim, Wolfgang e Christine aproveitam a paz invernal e o silêncio do local. Eles sabem que, tão logo a temperatura aumentar, os outros campistas estarão de volta. E aí, barulho e agitação é o que não vai faltar.

Autor: Sascha Baron (dd)
Revisão: Augusto Valente