1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Campeonato começa na Malásia para três pilotos alemães

Enquanto Michael Schumacher defende a liderança do campeonato no GP da Malásia, os demais três pilotos alemães esperam conseguir finalmente "estrear" na temporada.

default

Em 2001, Schumacher (centro) comemorou na Malásia o recorde mundial de vitórias consecutivas em grandes prêmios

Oficialmente, o Grande Prêmio da Malásia, no próximo domingo, será a segunda corrida da temporada 2002 da Fórmula-1, mas para três dos quatro pilotos alemães ela significará – ou deverá, a esta altura é bom que sejamos cautelosos – propriamente a estréia.

Ralf Schumacher, Nick Heidfeld e Heinz-Harald Frentzen não foram longe no primeiro GP do ano, na Austrália, há duas semanas. Os dois primeiros não passaram da primeira curva, enquanto o terceiro nem conseguiu dar a partida para a volta de apresentação e, ao largar dos boxes, acabou desclassificado por desrespeitar um sinal vermelho.

Chegar ao fim - "Só pode melhorar", resume Frentzen, em sua homepage, sua situação atual na Arrows. Grandes esperanças, ele não alimenta. Seu carro novo foi apresentado à imprensa já na pista de Melbourne e não teve tempo sequer de ser testado – somente após o GP de San Marino haverá chance para isto fora do ambiente de grandes prêmios.

Apesar disto, o piloto alemão de 34 anos confia no potencial de sua Arrows na Malásia. "Queremos um início sólido na temporada, isto significa terminar a corrida", explica Frentzen.

Com torcida a favor – Vivendo dias de estrela, Nick Heidfeld tem bons motivos para estar empolgado para a corrida em Sepang. Sua equipe Sauber tem na Petronas, o conglomerado petroleiro malaio, um de seus grandes patrocinadores. Em função disto, Heidfeld cumpre uma extensa programação de relações públicas fixada pela empresa, incluindo visita a uma de suas plataformas de petróleo e a uma escola.

Ao fixar seu objetivo para domingo, o alemão deixa a modéstia de lado: conquistar alguns pontos e satisfazer assim também o carinho da torcida malaia. "Vai ser como correr em casa. Não temos em nenhum outro lugar tantos fãs como aqui", reconhece Heidfeld.

Schumi versus Schumi? – Por sua vez, Ralf Schumacher esbanja otimismo. Após dar sinais de reconhecer ao menos parte da culpa pela colisão com Rubens Barrichello na largada em Melbourne, o piloto da Williams-BMW fixou duas metas para o GP da Malásia: passar da primeira curva e incomodar seu irmão Michael.

Enquanto seus compatriotas com carrinhos novinhos em folha tentam um recomeço na temporada, o tetracampeão mundial e líder da temporada segue confiante na capacidade de sua velha Ferrari F2001 lhe dar a vitória em Sepang, pelo terceiro ano seguido.

Mas ele sabe que, a cada dia que passa, as demais equipes tendem a acertar seus novos veículos e descontar a vantagem tecnológica da escuderia italiana. A nova Ferrari F2002 só deverá disputar um GP em Ímola, em 14 de abril.

Leia mais