Caminhoneiro britânico faz campanha por polonês morto em ataque | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 22.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Caminhoneiro britânico faz campanha por polonês morto em ataque

Motorista do Reino Unido arrecada milhares de libras esterlinas via crowdfunding. Objetivo é ajudar família do colega da Polônia que teve caminhão sequestrado antes de ser morto em atentado em Berlim.

Última imagem do motorista polonês foi feita na tarde da segunda-feira, antes do sequestro do caminhão

Última imagem do motorista polonês foi feita na tarde da segunda-feira, antes do sequestro do caminhão

Um caminhoneiro britânico arrecadou mais de 50 mil libras esterlinas via crowdfunding para a família do motorista polonês encontrado morto no caminhão utilizado no atentado a um mercado de Natal em Berlim, nesta segunda-feira (19/12).

O britânico Dave Duncan disse na página GoFundMe, na qual ele criou a campanha de arrecadação na última terça-feira, que a história de Lukasz Urban, de 37 anos, o deixou "chocado".

"Como colega caminhoneiro, decidi chamar a atenção da comunidade e de todos para ajudar de alguma forma", disse Duncan, assinando com as palavras "RIP (Descanse em Paz) Lukazs... Dos caminhoneiros do Reino Unido e além". De acordo com a página, mais de 3,7 mil pessoas já participaram da campanha de doação.

Ao menos 12 pessoas morreram e 48 ficaram feridas no ataque no mercado de Natal em Berlim. O caminhão com placa polonesa foi sequestrado e jogado contra a multidão de pessoas que frequentava a feira.

Urban, que trabalhava na transportadora do primo Ariel Zurawski, foi a primeira vítima do atentado. O corpo dele foi encontrado pelas autoridades na cabine do veículo, com marcas de esfaqueamento e tiros.

Zurawski, que descreveu Urban como uma pessoa honesta, fez o reconhecimento do corpo do primo. "Ficou claro que ele lutou pela própria vida. O rosto dele estava inchado e ensaguentado. A polícia me informou que ele sofreu ferimentos à bala. Apesar de ter sido esfaqueado, ele foi morto a tiros", relatou à imprensa polonesa.

A autópsia realizada pelas autoridades alemãs verificou que o condutor polonês ainda estava vivo durante o ataque e que foi morto a tiros pouco antes de o autor do crime fugir do local, noticiou o jornal Bild

TMS/afp

Leia mais