Caminhão atinge multidão e deixa dezenas de mortos em Nice | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 14.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Caminhão atinge multidão e deixa dezenas de mortos em Nice

Ao menos 80 pessoas morrem e dezenas ficam feridas após veículo avançar sobre multidão que acompanhava queima de fogos à beira-mar, durante celebração do Dia da Bastilha. Motorista é morto a tiros pela polícia.

Um caminhão avançou sobre uma multidão e matou dezenas de pessoas nesta quinta-feira (14/07) em Nice, no sul da França. O ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, disse que há ao menos 80 mortos e 18 feridos em estado grave.

Milhares de pessoas estavam reunidas na famosa avenida à beira-mar Promenade des Anglais para acompanhar a queima de fogos de artifício em comemoração ao Dia da Bastilha, data nacional da França.

O subprefeito do Departamento Alpes Marítimos, Sébastien Humbert, afirmou que o motorista do caminhão foi morto a tiros pela polícia. Ele teria guiado o veículo em alta velocidade ao longo de cem metros pela Promenade des Anglais, avançando sobre o público.

"O caminhão passou por cima da multidão por um longo trecho, o que explica o elevado número de vítimas", disse Humbert. Segundo ele, trata-se de um ataque criminoso de grandes dimensões.

Pouco depois, o deputado Eric Ciotti afirmou que o caminhão avançou sobre a população por cerca de 2 quilômetros e que 75 pessoas morreram e 50 ficaram feridas, sendo que 15 delas estão em estado de "urgência absoluta".

O presidente da região Provence-Alpes-Côte d'Azur, Christian Estrosi, disse que o ataque deixou ao menos 77 mortos. Segundo ele, o motorista disparou contra a multidão, e foram encontradas armas e explosivos dentro do caminhão.

"Este é o pior drama da história de Nice", afirmou Estrosi. Testemunhas relataram cenas de pânico e correria na avenida beira-mar, um dos locais mais frequentados da cidade francesa, que atrai turistas de vários países.

Segundo o jornal local Nice Matin, o ataque ocorreu por volta das 22h30 (horário local), na altura do hotel Westminster e a poucos metros do conhecido hotel Negresco.

O jornalista Damien Allemand, do Nice Matin, reportou que a queima de fogos estava no fim e que os espectadores estavam deixando o local quando ouviram o barulho do caminhão e gritos. "Uma fração de segundos depois, um enorme caminhão branco avançou a uma grande velocidade, tentando atingir o maior número possível de pessoas", afirmou. "Eu vi corpos voando como se fossem pinos de boliche."

Um policial disse à agência de notícias AFP que dentro do caminhão foram encontrados documentos de identidade de um cidadão franco-tunisiano de 31 anos e morador de Nice. Ele disse que ainda não está claro se se trata do motorista do veículo.

O presidente da França, François Hollande, que estava na cidade de Avignon, retornou a Paris para uma reunião de emergência no Ministério do Interior, comunicou o Palácio do Eliseu. O primeiro-ministro Manuel Valls também participou da reunião.

Pouco depois, Hollande fez um pronunciamento televisivo e afirmou que o ataque foi claramente terrorista. Cazeneuve, que se deslocou para Nice, disse que a França está "em guerra contra os terroristas que querem nos atacar a todo custo e que são extremamente violentos".

A promotoria antiterrorista de Paris foi encarregada da investigação do ataque.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, condenou "o que aparenta ser um horrendo ataque terrorista" em Nice. "Oferecemos às autoridades francesas toda a ajuda que precisarem para investigar este ataque e levar seus responsáveis à Justiça", afirmou Obama em comunicado.

O Conselho de Segurança da ONU, por sua vez, condenou veementemente o ataque, classificando-o como um "atentado terrorista bárbaro e covarde".

Este artigo está sendo constantemente atualizado. Mais informações em breve.

EK/AS/afp/rtr/ap/dpa/efe

Leia mais