Cameron promete ″tolerância zero″ contra causadores de distúrbios | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 14.08.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Cameron promete "tolerância zero" contra causadores de distúrbios

Primeiro-ministro britânico garante que governo agirá com mão pesada contra quem cometer atos de violência. À imprensa inglesa ele afirmou ser favorável ao corte de benefícios sociais a condenados pelos tumultos.

Premiê britânico, David Cameron

Premiê britânico, David Cameron

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, prometeu "tolerância zero" com os causadores de distúrbios nas ruas britânicas. Em entrevista publicada neste domingo (14/08) no jornal The Sunday Telegraph, ele garantiu que agirá com mão pesada contra todos os que tentarem regressar às ruas para cometer atos de violência como os vividos em Londres e em outras cidades na última semana.

Os tumultos, que provocaram cinco mortes, foram "um divisor de águas na vida da nação", afirmou Cameron ao diário. O premiê calcula que cerca de 100 mil famílias necessitam de ajuda do governo e prometeu medidas para combater a crise.

Corte de benefícios

Em entrevista à rede de televisão estatal BBC, Cameron reiterou que saqueadores devem ser privados de receber benefícios sociais. "Aqueles que roubam e saqueiam sua própria comunidade não devem mais ter o direito de viver em apartamentos sociais", afirmou. Cerca de 160 mil britânicos já assinaram uma petição online pedindo para que os condenados por envolvimento nos ataques sofram cortes de benefícios sociais.

Mais de 700 foram indiciados por tumultos em Londres

Mais de 700 foram indiciados por tumultos em Londres

Cameron está sendo alvo de severas críticas de oficiais da polícia britânica e até mesmo de membros da sua coalizão de governo após ter pedido a ajuda do ex-chefe da polícia de Nova York Bill Bratton na luta contra as gangues de rua. Bratton, que conseguiu reduzir os níveis de criminalidade em Nova York com sua tática de "tolerância zero", participará de encontros com a Scotland Yard, em Londres, nos próximos meses.

Mais de 2 mil detidos

Desde o início dos distúrbios, há uma semana, foram detidos no Reino Unido quase 2.150 suspeitos de envolvimento nas manifestações, segundo as autoridades.

De acordo com a polícia, só em Londres mais de 700 pessoas foram indiciadas, acusadas de participação em atos de violência, perturbação e participação em saques. Várias de forças de operação especiais estão patrulhando cidades britânicas, possibilitando que o fim de semana transcorresse sem grandes incidentes no país.

Em Birmingham dois jovens (de 17 e 26 anos de idade) compareceram em juízo sob acusação de terem provocado a morte de três homens durante os protestos. Juntamente com outros jovens, eles teriam atropelado deliberadamente um grupo de pessoas que tentava proteger seu bairro contra saqueadores nas primeiras horas de quarta-feira.

MD/afp/dpa/lusa/dadp
Revisão: Mariana Santos

Leia mais