Califórnia, Massachusetts e Nevada legalizam maconha | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 09.11.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Califórnia, Massachusetts e Nevada legalizam maconha

Estados americanos aprovaram uso recreativo de cannabis. Percentual de americanos que vivem em estados onde a maconha é legal para adultos chega a 20%.

Os estados de Massachusetts, Califórnia e Nevada, nos Estados Unidos, legalizaram nesta terça-feira (08/11), por meio de referendo, o uso recreativo da maconha, em uma jornada na qual o país realizou eleições presidenciais e legislativas, além de outras votações como esta.

A autorização na Califórnia, onde recebeu quase 56% dos votos, torna a substância em legal em parte da fronteira americana com o México. Em Massachusetts, o "sim" obteve 53,5%, e em Nevada, 54%. 

O uso recreativo da maconha já estava liberado no Alasca, Colorado, Oregon, no estado de Washington e no Distrito de Columbia, onde fica a capital. Com Califórnia, Massachusetts e Nevada, o percentual de americanos que vivem em estados onde a maconha é legal para adultos passou de 5% para 20%.

Uso medicinal

Outros quatro estados – Flórida, Arkansas, Montana e Dakota do Norte –, que também realizaram referendo sobre o assunto nesta terça-feira, aprovaram a legalização da maconha para uso medicinal.

Na Flórida, a proposta de legalização do uso da maconha para o tratamento de pacientes com aids, câncer, epilepsia e outras condições médicas, obteve 71,2% de votos (mais de 6,4 milhões de eleitores), contra 28,7% (2,5 milhões) que se opuseram a ela, de acordo com a Divisão de Eleições da Flórida.

Os autores da emenda qualificaram o resultado de "extremamente importante", porque beneficiará àqueles que "buscam um tratamento paliativo, que é um grande segmento da população envelhecida no estado", destacou Rob Hunt, presidente da companhia local Teewinot Life Sciences, que trabalha na biossíntese de cannabis.

Jeff Zucker, da empresa de consultoria Green Lion Partners, afirmou que a aprovação da emenda "é uma grande vitória para o atendimento médico da Flórida, a justiça social e a economia".

O Departamento de Saúde da Flórida tem até julho de 2017 para aprovar as normativas relacionadas com esta emenda, enquanto, a partir de outubro, começará o registro de cultivadores e dispensários, assim como a expedição de cartões para os futuros pacientes.

TMS/efe

Assistir ao vídeo 03:39
Ao vivo agora
03:39 min

Consumo de maconha na Catalunha gera polêmica

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados