1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Calçado brasileiro conquista Europa

Aumentam as exportações para a União Européia. Brazilian Footwear leva 40 produtores e designers à Feira do Calçado em Düsseldorf. Brasil pode ser maior produtor do Ocidente.

default

Novidade brasileira na GDS

"O mercado calçadista alemão é muito exigente. Conquistá-lo é como obter um atestado de qualidade para aumentar as exportações ao mercado europeu", disse o consultor da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), na Feira GDS, o principal evento mundial do setor, que acontece de 16 a 19 de setembro, em Düsseldorf.

Um total de 1659 expositores de 53 nações apresentam suas novas coleções na GDS, representando um crescimento de 10% em relação ao ano passado. A presença mais forte é da Itália (248 empresas), seguida pela Alemanha com 189 expositores.

Através do programa de exportações Brazilian Footwear, o Brasil participa com 40 produtores e designers e mostra novidades das coleções para a primavera e verão 2005. "Tanto a participação brasileira na GDS quanto as exportações do país para a Europa estão crescendo", constata o diretor executivo da Abicalçados, Heitor Klein. Na última edição do evento, em março deste ano, apenas 23 empresas brasileiras compareceram à GDS.

O Brasil exporta cerca de 200 milhões de pares de calçados por ano para 120 países. As vendas ao exterior renderam 1,5 bilhão de dólares em 2003 e a previsão é de que cresçam cerca de 15% este ano. Marcas como a Dumond já são vendidas em mais de 50 países. Os Estados Unidos ainda são o maior importador de calçados brasileiros, com a compra de cerca de 100 milhões de pares por ano.

Exportações para a UE

Schuhmode aus Brasilien

Qualidade e elegância, com couro de jacaré e registro do Ibama

O calçado brasileiro também está conquistando a Europa. No ano passado, as vendas aumentaram 7% para a Inglaterra, 85% por cento para a Espanha e 57% para a Alemanha, que importou o equivalente a 13,9 milhões de dólares. "Acreditamos que esses mercados têm um potencial de crescimento de 10% a 15% ao ano. Por isso, estamos intensificando nossa presença na GDS", diz Heitor Klein.

Segundo ele, a principal dificuldade para aumentar as exportações é que "o Brasil ainda não é plenamente conhecido na Europa como fornecedor confiável de calçados de qualidade". Mas isso começa a mudar. Aproveitando as comemorações dos 180 anos da imigração alemã no Brasil, a Abicalçados levou oito compradores varejistas de calçados da Alemanha à FRANCAL 2004, em julho passado. Em janeiro do próximo ano, 40 importadores alemães irão à Couromoda de São Paulo.

Maior produtor do Ocidente

Segundo Heitor Klein, o Brasil aposta na qualidade, flexibilidade, criatividade e parceria para ampliar suas vendas ao exterior. "Temos um enorme potencial, com mais de 7200 empresas no setor calçadista, que geram em torno de 290 mil empregos, e uma eficiente rede de fornecedores e curtidores, que nos garantem competitividade internacional. Em vez de discussões sobre preços, priorizamos claramente a diferenciação de nossos produtos", diz.

A produção total em 2003 foi de 678 milhões de pares, sendo 490 milhões comercializados no mercado doméstico, com faturamento estimado em 15 bilhões de reais. "O aumento das exportações brasileiras está levando à valorização do design e à geração de mais empregos", diz Klein A Abicalçados estima que o Brasil poderá assumir a liderança mundial em produção de calçados, substituindo a Itália como maior exportador do Ocidente entre 2010 e 2014. Os italianos atualmente ocupam o quarto lugar no ranking mundial dos exportadores, ficando atrás da China, Hong Kong e Vietnã, conforme dados referentes a 2002.

Leia mais