1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Caça aos suspeitos se concentra ao norte de Paris

Forças de segurança concentram esforços nos arredores de Villers-Cotterêts. Com 88 mil policiais mobilizados, busca a autores do massacre na redação do "Charlie Hebdo" é considerada sem precedentes na história francesa.

As forças de segurança francesas concentram, na noite desta quinta-feira (08/01), as buscas pelos dois irmãos acusados de serem os autores do massacre na redação do semanário Charlie Hebdo nos arredores da cidade de Villers-Cotterêts, cerca de 70 quilômetros ao norte de Paris, onde o carro usado na fuga foi encontrado.

Segundo o Ministério do Interior, 88 mil policiais estão mobilizados em todo o país, tanto para impedir novos ataques terroristas como na caçada aos suspeitos, que foi descrita como sem precedentes na história francesa pelo gabinete de crise instalado em Paris após o atentado.

Corcy fica perto do posto de gasolina onde os dois terroristas foram vistos, em Villers-Cotterêts, na região da Picardie. Perto da cidade há uma floresta, e a polícia não descarta que eles estejam escondidos em algum lugar na mata.

"É uma valsa incessante de carros de polícia e caminhões", relatou Bruno Fortier, prefeito de Crépy-em-Valois, cidade vizinha a Corcy.

Os suspeitos são os irmãos parisienses Cherif e Said Kouachi, de 32 e 34 anos. No carro que abandonaram, havia uma bandeira com símbolos jihadistas, comuns ao Estado Islâmico e à Al Qaeda. Porém, as autoridades não confirmam se eles têm ligação com alguma dessas organizações.

A polícia divulgou fotos dos irmãos Kouachi, descrevendo-os como "armados e perigosos". Cherif, um conhecido jihadista, foi condenado em 2008 por envolvimento numa rede que recrutava combatentes numa mesquita de Paris para lutar contra americanos no Iraque.

Até agora, sete pessoas foram presas durante a caçada aos irmãos. Ainda na noite de quarta-feira, horas depois do atentado, um jovem de 18 anos que também estava entre os suspeitos se entregou à polícia, negando envolvimento com o atentado.

Paris Anschlag auf Charlie Hebdo - Attentäter Cherif Kouachi & Said Kouachi

Os suspeitos Cherif Kouachi e Said Kouachi

Nesta quinta-feira, uma policial foi morta em um tiroteio no sul de Paris. O ministro do interior francês, Bernard Cazeneuve, porém, disse que por enquanto não há indícios de ligação entre o ataque e o atentado à redação do Charlie Hebdo.

Reino Unido reforça segurança

O Reino Unido reforçou as medidas de segurança em portos e fronteiras nesta quinta-feira na sequência do ataque em Paris, apesar de as autoridades britânicas afirmarem que não há nenhuma nova ameaça específica ao país.

O primeiro-ministro David Cameron disse que o nível de ameaça nacional foi mantido como "severo", o segundo mais alto numa escala de cinco. Isso significa que forças de inteligências acreditam que a probabilidade de ataque é grande.

Theresa May, secretária do Interior, disse que a polícia e guardas de fronteira haviam "intensificado o controle de passageiros, veículos e mercadorias vindos da França e de outras partes da Europa".

Também houve um incremento na segurança na estação de trem parisiense Gare du Nord, onde guardas de fronteira britânicos controlam passageiros com destino a Londres.

RPR/ap/rtr/afp

Leia mais