1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Bush promete sacrifício na luta antiterror

No lugar onde os aliados iniciaram a vitória sobre a Alemanha nazista, com a invasão da Normandia, os presidentes americano George W. Bush e francês Jacques Chirac confirmaram sua determinação na luta contra o terror.

default

George W. Bush, na Normandia: "A luta contra o terror exige sacrifícios como os dos nossos antepassados

"A luta pela liberdade exige um sacrifício, como o dos nossos antepassados", disse Bush, prometendo a seguir que tal sacrifício será feito. Chirac garantiu que os EUA podem confiar na França.

Bush e Chirac lembraram os mortos da Segunda Guerra Mundial, numa cerimônia do Memorial Day, no cemitério dos soldados americanos em Colleville, no noroeste da França. O presidente americano fez uma comparação entre a luta contra o nazismo e o combate ao terrorismo na atualidade. Ele destacou que isso vale também para o Afeganistão. "Nós ganhamos a guerra a cada hora que vivemos em liberdade", afirmou. As famílias dos que tombaram sabiam, segundo Bush, que os soldados morreram por uma causa justa e pouparam muitas outras tiranias e dores.

Antes de ir ao cemitério, o presidente da única superpotência que restou após o fim da outra potência vencedora da Grande Guerra, União Soviética, sobrevoou as praias da Normandia, onde desembarcaram as tropas americanas, canadenses e britânicas, em 6 de junho de 1944. Milhares morreram na batalha com as tropas alemãs de ocupação. Só em Colleville foram enterrados 9.387 soldados americanos.

Os dois presidentes visitaram também a primeira cidade francesa libertada, Sainte-Mère-Église. Lá, Bush destacou que o sacrifício na luta contra o terrorismo seria "para o bem da América, da França e da liberdade em todo o mundo". Chirac disse que a luta contra "a barbárie terrorista será travada e ganha conjuntamente". E acentuou que "as democracias são sempre mais fortes do que a violência crua". O presidente francês disse que o seu país jamais esquecerá a ação dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial.

Depois de visitar o cenário do desembarque histórico dos aliados na Normandia, Bush partiu para Roma, sua próxima estação na Europa, onde participará da conferência de cúpula da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), nesta terça-feira (28). O encontrou vai reunir os 20 chefes de Estado e de governo mais importantes do mundo, entre eles o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o chanceler federal da Alemanha, Gerhard Schröder. Bush iniciou sua visita de oito dias à Europa em Berlim, de onde voou para Moscou, indo a seguir a Paris.