1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Burocratas brasileiros vencem Gana e vão às quartas-de-final

Com um futebol de resultados e um gol de impedimento, Brasil vence por 3 a 0 e elimina a última seleção africana da Copa na Alemanha. Ronaldo quebra recorde de gols de Gerd Müller.

default

Ronaldo festeja seu 15º gol em Copas

A seleção brasileira precisou de pouco esforço e apenas meia dúzia de chances de gol para marcar três – um de impedimento –, eliminar Gana, se classificar para as quartas-de-final da Copa 2006 e estabelecer três novos recordes nesta terça-feira (27/06), em Dortmund.

Ronaldo, com 15 gols em três Copas (1998, 2992 e 2006. Ele não jogou em 1994), é o maior artilheiro da história do torneio, superando o alemão Gerd Müller, que marcou 14 vezes em dois Mundiais (1970 e 1974). O Brasil é o primeiro país do mundo a marcar mais de 200 gols (agora 201) em Copas. E Cafu é o recordista brasileiro em vestir a camsa canarinho nestes torneios (19 vezes).

O primeiro tempo foi bastante "amarelo", com dois gols brasileiros e seis cartões amarelos, mas sem o esperado futebol criativo e empolgante da equipe canarinho. Logo aos cinco minutos, Kaká deu um passe genial em profundidade para Ronaldo, que avançou livre, driblou o goleiro Kingson e abriu o placar.

Em estado de êxtase com os recordes alcançados, na seqüência, os "burocratas" de Parreira fizeram uma pausa, diminuíram o ritmo e deixaram Gana avançar cada vez mais ao ataque.

Resultado, nos 30 minutos seguintes, a equipe africana chutou nove vezes ao gol guarnecido por Dida; o Brasil testou apenas três vezes o inseguro Kingson. Aos 42 minutos, Gana quase empatou, mas Dida defendeu com a perna direita, na base da sorte, uma cabeceada de Mensah para o chão.

Aos 46 minutos, então, Lúcio, visivelmente irritado com a letargia do meio-campo e do quadrado mágico, pegou a bola na zaga, arrancou pelo meio e lançou Cafu na ponta direita. O lateral cruzou para Adriano, que estava impedido, mas marcou de joelho: 2 a 0. Falha crassa da arbitragem.

A caminho do intervalo, o árbitro Michel Lubos teve de ouvir os xingamentos do técnico de Gana, Ratomir Dujkovic, que foi mandado para as tribunas, mas preferiu assistir ao segundo tempo nos vestiários.

Para a etapa final, Parreira trouxe Gilberto Silva para o lugar de Emerson, que andou sumido em campo na primeira etapa; depois Juninho Pernambucano para Adriano; e quase no final da partida, Ricardinho no lugar de Kaká. O 'quadrado mágico' mais uma vez não funcionou, mas a seleção fez o que pode para converter os presentes da zaga de Gana em gols.

Gana começou os 45 minutos finais pressionando o Brasil, correndo atrás do prejuízo, enquanto o Brasil, como era de se esperar, passou a administrar o resultado, aguardando apenas chances de contra-ataque. Uma tática que não demorou para arrancar vaias de torcida, que esperava ansiosamente pelo futebol-arte, mostrado de leve contra o Japão.

Aos 12 minutos, os 65 mil torcedores ainda tiveram uma esperança: Ronaldinho deu belo passe para Roberto Carlos na área. O lateral-esquerdo chutou forte, mas Kingson defendeu com os pés. Foi a primeira e única boa jogada do Brasil pela esquerda no jogo.

A partir dos 36 minutos, a equipe de Gana, já exausta, passou a jogar com apenas dez, depois que Gyan foi expulso por ter chutado a bola para longe quando o árbitro já havia parado o jogo.

Três minutos depois, em mais uma falha feia da zaga ganense, Zé Roberto aceitou o presente e tocou na saída do goleiro, completando um placar exagerado levando-se em conta o que a seleção de Parreira mostrou em campo. O Brasil ganha, mas não conquista o coração da torcida.

BRASIL 3 x 0 GANA

Brasil

Dida - Cafú, Lúcio, Juan, Roberto Carlos; Kaká (Ricardinho), Emerson (Gilberto Silva), Zé Roberto, Ronaldinho; Ronaldo, Adriano (Juninho).

Técnico: Carlos Alberto Parreira

Gana

Pantsil, Mensah, Shilla, Pappoe; Eric Addo (Boateng), Appiah, Muntari, Draman; Amoah (Tachie-Mensah), Gyan.

Técnico: Ratomir Dujkovic

Data: 27/06/2006 (Terça-feira)

Local: Westfalenstadion, em Dortmund

Horário: 17h (12h de Brasília)

Árbitro: Michel Lubos (Eslováquia)

Assistentes: Martin Balko e Roman Slysko (ambos eslovacos)

Cartões amarelos: Adriano (B), Juan(B), Appiah(G), Muntari(G), Paintsil(G), Eric Addo(G)
Expulsão: Gyan

Gols: Ronaldo (B), aos 5min do primeiro tempo; Adriano, aos 46min do primeiro tempo; Zé Roberto, aos 39min do segundo tempo.

Leia mais