1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Bundesliga terá controle antidoping mais rígido

Após os escândalos no ciclismo, DFB, DFL e autoridades antidoping estudam medidas de controle mais rígidas para o futebol alemão, incluindo exames de sangue e número maior de testes durante os treinos.

default

Além dos testes com urina, jogadores poderão ser submetidos a exames de sangue

Quando o goleiro Oliver Kahn perdeu a paciência, em março deste ano, após ter sido solicitado a fornecer uma segunda amostra de urina numa partida da Liga dos Campeões contra o Real Madrid, ele justificou sua atitude afirmando que se irritara por ter sido mais uma vez escolhido para o exame antidoping.

O resultado de Kahn deu negativo, mas como ele quebrara uma série de regras durante o procedimento de controle, acabou suspenso por um jogo. Mas, à luz dos fatos sobre os exames antidoping no futebol alemão, o goleiro do Bayern de Munique tinha motivos para se sentir perseguido.

Na comparação com outros esportes, os jogadores alemães de futebol enfrentam uma realidade bem mais fácil quando o assunto é exames antidoping.

Durante todo o ano de 2006, os especialistas da Agência Nacional Antidoping (Anad) visitaram os 36 clubes das duas divisões da Bundesliga apenas 87 vezes: uma média de 2,4 visitas por clube. Não houve nenhum caso de resultado positivo.

Dos mais de 900 jogadores registrados na Bundesliga, apenas 174 foram testados "fora de competição", termo técnico para os testes durante os treinos. Logo após os jogos, ou "em competição", ocorreram 886 testes no período.

Deutschland Fußball Doping WM 2006 Doping Kontrollraum

Sala de controle de doping durante a Copa 2006

De acordo com a diretora do departamento de comunicação da Anad, Ulrike Spitz, a agência e a Federação Alemã de Futebol (DFB) estão debatendo por que ocorreram tantos testes de um tipo e tão poucos do outro.

"As duas partes concordaram que deve haver mais controle 'fora de competição' no futebol. O número de testes 'em competição' é mesmo muito bom, mas não há testes suficientes durante os treinos. Vamos mudar isso em breve", disse Spitz à DW-WORLD.DE.

Outros esportes são mais controlados

No atletismo, os competidores são examinados entre quatro e seis vezes ao ano durante os treinos. Um atleta de ponta pode ser testado até 15 vezes em um único ano. Já para um jogador de futebol, ser testado quatro vezes em apenas um ano é além do normal. Assim é fácil de entender por que Kahn se sentiu perseguido ao ser mais uma vez escolhido.

As estatísticas mostram que boa parte dos jogadores que disputam a Bundesliga passam uma temporada inteira sem receber um copo plástico de um médico no vestiário. E como é pequeno o número de jogadores flagrados fazendo uso de substâncias proibidas desde que o controle foi introduzido na Bundesliga, há quem se pergunte se o doping não existe no futebol ou se o sistema é falho.

Após os recentes escândalos que minaram a credibilidade do ciclismo, a DFB, a Anad e a Liga Alemã de Futebol (DFL) estão correndo contra o tempo para introduzir um controle antidoping mais rígido na temporada da Bundesliga que se iniciou no último final de semana.

Num seminário da DFB ocorrido no mês passado, representantes das três entidades concordaram que os exames antidoping no Campeonato Alemão deverão ser alinhados com os que ocorrem no atletismo.

As entidades estudam, por exemplo, se exigirão dos 36 clubes que informem todas as sextas-feiras à Anad onde os seus jogadores estarão treinando na próxima semana. Além dos exames de urina, os jogadores poderão ser submetidos a exames de sangue para detectar o uso de anabolizantes ou eritropoietina (EPO). A Uefa também pretende exigir esses testes na Eurocopa 2008.

Deutschland Fußball Doping Peter Neururer Trainer

Neururer, ex-técnico do Schalke, afirmou ter visto jogadores se doparem

Anabolizantes e EPO são as substâncias mais prováveis de serem usadas por um jogador de futebol. A eritropoietina aumenta a quantidade de glóbulos vermelhos no sangue, melhorando a capacidade de transporte de oxigênio. Os anabolizantes aumentam a massa muscular. Ambos seriam administrados durante os treinos.

As três organizações também concordaram que, além dos testes durante treinos e após os jogos, os jogadores deverão estar disponíveis para exames sempre, inclusive no período de férias.

Passado sob suspeita

"Muitas coisas estão acontecendo por causa da atual discussão em torno do doping. Todos concordam que há problemas no esporte, e não apenas no ciclismo", afirma Spitz. "No caso da Bundesliga, todas as partes querem melhorar o sistema o mais rápido possível."

Desde que a Anad foi criada, em 2003, houve apenas quatro casos de teste positivo na Bundesliga. Mas enquanto muitas pessoas ligadas ao futebol garantem que o esporte é "limpo" e que esses casos são exceções, outros afirmam que o Campeonato Alemão tem um passado mais "sujo" do que se admite.

Algumas declarações recentes lançaram suspeitas sobre a existência de uma cultura de doping antes dos controles serem introduzidos, em 1988. O ex-técnico do Schalke Peter Neururer declarou há alguns dias que ao menos metade dos seus jogadores usavam o estimulante captagon nos anos 80. Seu assistente no Schalke, Michael Krüger, e o goleiro Jens Lehmann, que à época jogava na equipe, também afirmaram ter conhecimento da prática.

DFB, DFL e Anad deverão chegar a uma conclusão sobre um novo regime de exames antidoping no final de agosto. As três entidades concordam que, além de uma quantidade maior de testes, será necessário mais dinheiro. E como a maior parte do dinheiro do esporte vem de patrocinadores – que querem sua imagem associada a atletas limpos – o investimento parece valer a pena.

Leia mais