1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Brics oficializam criação de Banco de Desenvolvimento

Instituição deve começar a operar em 2016. Sede será na China. Líderes dos Brics se comprometem também a desenvolver indústrias nacionais e coordenar esforços para estabilidade das economias.

Depois de dois dias de reuniões, a sétima cúpula dos países dos Brics terminou nesta quinta-feira (09/07), na cidade russa de Ufá, com um compromisso para intensificar as indústrias nacionais dos integrantes e oficializou a criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB).

Durante a cúpula, os países dos Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – assinaram o memorando para a criação do

NDB

, que se apresenta como uma alternativa para o sistema financeiro global, atualmente dominado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e pelo Banco Mundial.

A expectativa é que a nova instituição, cuja sede será em Xangai, na China, comece a operar a partir de 2016. Inicialmente, o banco irá financiar projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável dos países do bloco, expandindo, no futuro, sua atuação para outras regiões.

O NBD terá um capital inicial de 50 bilhões de dólares e será presidido pelo banqueiro indiano K.V. Kamath. O economista brasileiro Paulo Nogueira Batista Junior será o vice-presidente da instituição.

Indústria e economia nacional

No final da cúpula, os líderes dos Brics assinaram ainda uma declaração, na qual se comprometem a desenvolver as indústrias nacionais para aumentar a produção e a exportação de produtos de alto valor agregado.

Além de impulsionar as economias nacionais, a medida "contribuirá para a participação em cadeias de valores globais e melhorar a competitividade", ressaltou a declaração conjunta.

Perante o atual cenário global, os países também concordaram em coordenar esforços para manter suas economias estáveis. "Nós estamos preocupados com a instabilidade de mercados, a alta volatilidade dos preços de energia e de commodities e a acumulação de dívida soberana por alguns países", afirmou o presidente russo, Vladimir Putin.

Durante o encontro do Conselho Empresarial do grupo nesta quinta-feira, a presidente Dilma Rousseff disse que investimentos empresariais são "fundamentais", assim como o comércio, para o desenvolvimento econômico. Dilma ressaltou ainda que o papel internacional dos Brics precisa ser reforçado para garantir o desenvolvimento global.

CN/rtr/ap/abr/lusa

Leia mais