BRICS: DIFERENÇAS ENTRE OS PAÍSES PODEM LEVAR A CONFLITOS | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 16.04.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

BRICS: DIFERENÇAS ENTRE OS PAÍSES PODEM LEVAR A CONFLITOS

Nossos usuários comentaram esta semana sobre o encontro do Brics, os primeiros 100 dias da gestão Dilma e a liberação de documentos sobre a morte de Yuri Gagarin.

default

Acredito que os países do Brics formarão uma nova ordem mundial. Talvez assim descentralizem o poder que hoje está com os Estados Unidos. São países imensos e que não foram afetados pela crise econômica.
Guilherme Alves

Acho que não existem dois países iguais no mundo. Nem entre o Brics nem entre os países da Europa e até dos eternos lacaios dos Estados Unidos. Por que essa preocupação? Procurando pelo em ovo? Abobrinhas sem sal e sem sabor. Ou medo, inveja e seca-pimenteira?
Zeno Jose Otto

Ora que novidade! Toda diferença pode levar a conflitos, no ambiente de trabalho, no casamento e principalmente na política, onde os interesses econômicos são defendidos a todo preço. É justamente por isso que os países do Brics se reúnem, para discutir e pesar as diferenças e interesses de cada um e encontrar soluções condizentes a esses interesses.
Flávio Barbosa

O imperialismo e a arrogância americana se propagam em longa escala, ou seja, a partir do momento que os EUA passam a investir em guerras desnecessárias. O Brasil, a Rússia, a China e a Índia condenam com veemência tais ações. E passam a endossar suas economias. Ambos caminhando para tornarem-se novas elites econômicas, pois não apostam no abstrato e sim no concreto, no exato. Outrossim, não interferem na tomada de poder, como vêm fazendo EUA, França, Inglaterra e a ONU – as marionetes americanas.
Josué Miranda dos Santos

CEM DIAS DE DILMA

Os cem dias estão indicando que a presidente Dilma está certa em suas determinações. A população brasileira estava ansiosa por mudanças que viriam beneficiar a economia do povo brasileiro, mudanças estas já iniciadas com o presidente Lula.
Com os olhos direcionados à realidade brasileira, muito mais do que os resultados concretos que são obtidos, o que está garantindo o sucesso da presidente Dilma nestes seus cem primeiros dias é o grande número de aliados de seu governo, que garantem uma popularidade de 75%.
Esse apoio significa assumir o lugar de trabalho, fazer sacrifícios, se for preciso, fazer com que os resultados apareçam. Sem o apoio ou um motivo maior que empolgue as pessoas para fazer as coisas andarem, nenhum governo, por melhor que seja, fará realizações. A presidente Dilma está conseguindo isso com seu carisma, determinação e vontade de acertar. Com esses pressupostos todo o resto funciona.
Odalberto Domingos Casonatto

Até agora parece que Dilma vai indo muito bem. Ainda é cedo para se fazer um balanço. Mas o povo brasileiro tem muita esperança de que o governo da Dilma seja também um governo que se preocupe com o povão e não apenas com a elite, como foram os governos anteriores ao Lula.
Luís Malta

Discordo quando você afirma: 1. "... como no asilo ao então presidente hondurenho Manuel Zelaya, deposto pelos militares". Lula não teve escolha. O presidente hondurenho pediu asilo e foi lhe dado. Ponto!
2. Caso iraniano. Quem fracassou, no meu entender, foi Obama, que não cumpriu o acordo feito. Saiu do episódio, como a própria carta dele enviada ao Lula demonstra, como um mentiroso, alguém em quem o Lula aprendeu a não confiar. Talvez por isso mesmo Lula não tenha ido ao jantar oferecido a ele por Dilma.
Seu artigo está cheio de interpretações baseadas na imprensa – denominada de PIG (Partido da Imprensa Golpista) – nacional, que tem analisado o governo Lula de maneira irresponsável.
Gloria Leite

YURI GAGARIN

Acho muito estranho o Kremlin "liberar" documentos que não contêm nenhuma novidade ou sensação. Se foi realmente um acidente a causa da morte, por que esses documentos eram tão secretos? Duvido muito dessa versão, tem dedinho do KGB por aí!
Eduardo Pacheco

Foi mesmo uma façanha. Pena que ele morreu de maneira abrupta e estranha. Foi ao espaço e morreu na terra!
Roberto Chede

Realmente uma façanha, mas depois de 50 anos liberarem documentos que não dizem nada demais é muito estranho. Para se manter segredo desse acidente por tanto tempo deveria haver algo muito grave a ser escondido, mas tudo o que se relaciona ao Kremlin é assim, a única certeza é que nunca saberemos a verdade. Ao cosmonauta todas as homenagens por sua coragem e pelos relatos que deram a todos nós um pouquinho da sua experiência.
Kassya Tavares

Apesar de ter sido o primeiro homem a viajar ao espaço, Gagarin possuía uma espécie de "aura" que transmitia tranquilidade e humildade em todas as suas fotos. Gagarin soaria bem para uma marca, mas acho justo que tenha sido patenteado, salvaguardando sua imagem dos oportunistas de plantão. Reconheço que a agência aeroespacial americana também fez grandes avanços científicos, mas foi a Rússia quem teve mais agilidade, coragem e pioneirismo na chamada "corrida espacial".
Rodrigo de Araújo

Leia mais