Brexit abala mercados financeiros pelo mundo | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 24.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Brexit abala mercados financeiros pelo mundo

Bolsas abrem com fortes quedas na Europa, Ásia e Estados Unidos. Libra esterlina tem maior recuo da história e alcança valor mais baixo em relação ao dólar desde 1985.

A vitória do Brexit no Reino Unido abalou os mercados financeiros em todo o mundo e provocou uma espécie de "sexta-feira negra".

O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, iniciou a sessão desta sexta-feira (24/06) com queda de 7,7% – pior perda diária desde outubro de 2008, quando o banco Lehman Brothers quebrou e deu início a uma crise financeira global.

Às 10h10 GMT (7h10 de Brasília), o índice DAX 30, de Frankfurt, sofria queda de 6,52%; o CAC 40, de Paris, caía 8,32%; o FTSE-Mib, de Milão, 9,81%; e o Ibex 35, de Madri, 10,20%.

Na Ásia, o índice Nikkei, da Bolsa de Tóquio, registrou queda expressiva de 7,92%, enquanto o Hang Seng, de Hong Kong, perdeu 2,92%.

Em Nova York, as bolsas de valores também operavam em queda no início do pregão. Após 20 minutos de negociação, o Dow Jones caiu 2,5%, e o S&P 500 recuou 2,6%. Já o índice da Nasdaq caiu 3%.

Com a notícia de que o Reino Unido deverá deixar a União Europeia (UE), as ações dos principais bancos chegaram a cair quase 30% nesta sexta-feira na Bolsa de Londres. A queda reduziu em mais de 100 bilhões de libras (136,7 bilhões de dólares) o valor de mercado das ações mais valorizadas no índice britânico.

O Royal Bank of Scotland (RBS) perdia 26,05%; o Barclays, 25,46%; e o Lloyds Banking Group, 24,05%. Em Madri, o Banco Santander, que tem o Reino Unido como seu principal mercado, estava registrando perdas de 18,63% nesta manhã. Já o BBVA recuava 15,93%.

As perdas também afetavam o setor de petróleo: o barril de West Texas Intermediate para entrega em agosto era negociado a 48,69 dólares no Intercontinental Exchange (ICE) de Londres, uma queda de 2,22 dólares em relação ao fechamento de quinta-feira.

A libra esterlina caiu cerca de 10%, com cotação mínima de 1,3236 dólar. É a maior queda desde a introdução do câmbio livre, no início dos anos 1970, e o valor mais baixo em relação ao dólar desde 1985.

O Brexit também afetou outras moedas. O dólar chegou a ser negociado abaixo dos 100 ienes, a 99,02 ienes, pela primeira vez desde novembro de 2013, antes de recuperar terreno a 102 ienes. A moeda japonesa é considerada um porto seguro em momentos de incerteza, mas sua valorização prejudica o setor exportador, vital para a economia nipônica.

Enquanto o Brexit provocava pânico nos mercados, o Banco da Inglaterra anunciava que vai disponibilizar 250 bilhões de libras esterlinas para oferecer liquidez extra ao mercado para um período de "incerteza e ajuste".

O presidente do banco, Mark Carney, afirmou que a instituição "não descarta" tomar medidas adicionais que garantam a estabilidade dos mercados e o funcionamento da economia britânica. "Já demos todos os passos necessários para nos preparar diante dos eventos de sexta-feira", disse.

O Banco Central Europeu também fez anúncio semelhante e afirmou que está pronto para fornecer liquidez adicional ao sistema financeiro em euros e outras moedas.

JPS/afp/lusa/rtr

Leia mais