Brasil vai cancelar acordo com Ucrânia sobre Alcântara | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 09.04.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Brasil vai cancelar acordo com Ucrânia sobre Alcântara

Projeto para lançamento de foguetes a partir da base no Maranhão será abandonado pelo Brasil por ordem direta de Dilma, diz jornal. Governos já desembolsaram juntos 1 bilhão de reais.

O Brasil decidiu cancelar o acordo com a Ucrânia que visava o lançamento de foguetes ucranianos com satélites comerciais a partir da base de Alcântara, no Maranhão, noticiou nesta quinta-feira (09/04) o jornal Folha de S. Paulo. O projeto já teria consumido cerca de 1 bilhão de reais dos dois governos.

De acordo com a publicação, a decisão é da presidente Dilma Rousseff a partir do relatório de um grupo interministerial feito em janeiro, mas ainda não houve comunicação oficial ao governo ucraniano. A alegação é que o custo do lançador de satélites Cyclone-4 é muito alto no momento em que o país passa por um ajuste fiscal.

A DW Brasil contatou a Embaixada da Ucrânia em Brasília, que afirmou que não tem competência para se pronunciar sobre o assunto. Já o Itamaraty não respondeu às questões enviadas pela reportagem até o fechamento da matéria.

Com o fim do acordo com a Ucrânia, os EUA poderão voltar a negociar com o Brasil o uso da base de Alcântara para fins comerciais. Um acordo foi fechado em 2000, mas ficou de lado porque os americanos usariam a base, mas não iriam transferir tecnologia ao país.

O tema poderá voltar à agenda Brasil-EUA, principalmente se Dilma Rousseff realmente confirmar que uma visita a Barack Obama em Washington. A data deverá ser divulgada oficialmente durante a Cúpula das Américas, em 10 e 11 de abril, no Panamá.

De acordo com o jornal de São Paulo, os russos vinham pressionando o fim do acordo com os ucranianos e podem também ofertar lançadores ao Brasil.

O lançador de satélites Cyclone-4 foi oferecido ao Brasil em 2003, para lançamento em 2007, o que não ocorreu. Em 2006 foi constituída uma empresa binacional – a Alcântara Cyclone Space (ACS) – para realizar o projeto, e o lançamento estava previsto para 2010. Por falta de verbas, o negócio se arrastou, e a previsão era de que o foguete fosse lançado em 2015.

Leia mais