Brasil será convidado especial da Feira de Frankfurt em 2013 | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 24.06.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Brasil será convidado especial da Feira de Frankfurt em 2013

Ministro brasileiro da Cultura diz que ser convidado de honra em Frankfurt é como "sediar a Copa do Mundo do livro". Depois de 1994, literatura produzida no Brasil ganha espaço na maior vitrine mundial em 2013.

default

Em 2013, será a vez do Brasil na Feira de Frankfurt

A maior feira de livros do mundo vai homenagear, pela segunda vez, a literatura brasileira. Em 2013, o Brasil será o convidado do evento de Frankfurt, vitrine internacional mais importante para os expositores.

Jürgen Boss, diretor da feira alemã, assinou em Brasília o protocolo de intenções juntamente com o ministro brasileiro da Cultura, Juca Ferreira. "Sermos um dos dois únicos países homenageados na feira por duas vezes é como sediar a Copa do Mundo do livro", disse o ministro à Deutsche Welle.

Em 1994, o Brasil foi convidado de honra da Feira em Frankfurt, o primeiro país da América Latina a ganhar espaço exclusivo. Para a edição de 2013, o Ministério brasileiro da Cultura está otimista. "Tudo aponta que teremos o reconhecimento pleno, em escala mundial, da cultura brasileira e de nossa produção intelectual, dos nossos produtos e também de nossa capacidade de gerir uma diversidade cultural muito ampla e rica", avaliou o ministro da Cultura, Juca Ferreira.

Até 2013

Serão três anos de preparação. Cassiano Machado, diretor editorial da paulista Cosac Naify, acredita que Frankfurt trará um grande estímulo para a arte brasileira que, avalia, é uma das áreas mais frágeis.

"O Brasil é um país de ponta em termos de música, a gente já tem uma tradição muito forte na arte contemporânea, nas artes plásticas. E há setores que se fortaleceram muito, como o cinema e a dança. E a literatura brasileira anda um pouco atrás disso tudo", justificou Machado.

O editor conhece a Feira do Livro desde os tempos em que trabalhava como repórter de jornal e diz que, para ambos os profissionais, Frankfurt é tida como uma grande meca das novidades editoriais.

"A lista de opções de livros para se publicar é praticamente infinita, dos mais diferentes gêneros. (...) Para que o editor resolva publicar, por exemplo, ficção brasileira contemporânea, ele precisa ter bons motivos para isso. Acho que um estímulo como esse, o fato de o Brasil ser homenageado em Frankfurt, faz com que os editores pensem nesse sentido", analisa Machado, e acrescenta que a Cosac Naify deve contribuir principalmente na área da poesia.

Na ocasião da assinatura do protocolo em Brasília, Jürgen Boss afirmou que a produção de conteúdo está em primeiro plano. E destacou que, devido à antecedência, o Brasil deve ter sucesso nesse quesito.

"Minha expectativa é de que consigamos mobilizar os escritores e produtores de conteúdo para que possam de fato ocupar a feira e assim mostrar o que de melhor temos no Brasil, o que temos de mais contemporâneo e, ao mesmo tempo, nossas tradições culturais e literárias", disse o ministro da Cultura.

Segundo Ferreira, já na cerimônia de assinatura do acordo, o envolvimento das entidades brasileiras ligadas ao universo do livro causou uma boa impressão do apoio e da articulação do setor. "Isso sinaliza o quão juntos estamos trabalhando, o setor público, o setor privado e a sociedade."

Anualmente, são lançados no mercado brasileiro aproximadamente 45 mil títulos. Em 2008, o Brasil adquiriu 178 licenças de publicações alemãs – em 2007 foram 156 –, o que ultrapassa a marca de 143 licenças do tipo adquiridas pelos Estados Unidos.

Feira de tradição

A cidade celebra a grande feira de literatura já há 61 anos: em 1949, um grupo formado por 205 alemães organizou o primeiro evento do tipo no pós-guerra. O envolvimento de Frankfurt com a literatura, no entanto, data de seis séculos atrás.

Em 2010, a Argentina é a convidada especial do evento, que acontece em outubro. Desde 1976, a organização da feira dá espaço para países apresentarem suas novidades editoriais.

Para a edição desse ano, são esperados 7 mil expositores de mais de 100 nações, que devem atrair mais do que os 290 mil visitantes da feira em 2009.

Autora: Nádia Pontes

Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais